notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
5.6.09

“As máquinas ainda estão na perícia, e quando os trabalhos forem concluídos serão devolvidas”, disse a juíza

Mais de três meses depois de ter maquinários e DVDs apreendidos pela justiça, durante as investigações de casos de pedofilia em Catanduva, o proprietário da lan house investigada, Nilton Rodrigo Lotano(foto),em entrevista ao Notícia Online, reclama de seus equipamentos para sobreviver.
Foi no dia 19 de fevereiro deste ano que a lan house teve equipamentos apreendidos. Lotano conta que foi ouvido pela delegada Rosana da Silva Vanni. No mês de março foi convocado para ser ouvido na CPI da Pedofilia, instalada na Câmara Municipal. “Tive audiência com o senador Magno Malta, em plenário. Até agora nada do meu maquinário, nenhuma resolução, não definiram nada e estou sem poder trabalhar”, destacou. Malta é o presidente da CPI.
Lotano reclama que precisa de serviço. “Dependo muito do maquinário; vendi tudo, mesa, monitores, não posso deixar de pagar os outros”. Fala que não foi denunciado. “Foi uma pecinha que colocaram a mais que não precisava ser colocada, para aumentar, para dar Ibope, para dar conversa, para difamar a gente perante o bairro”. A lan house situa-se na Avenida Holambra, Cidade Jardim. O proprietário diz que sua imagem ficou manchada no bairro. “O pessoal aqui me olha como um monstro, hoje. Para converter essa imagem demora muito. Só que o pessoal sabe que não fiz isso e a gente é inocente.”
Ele tem um objetivo, segundo afirmou, que é levar inclusão digital ao bairro, “porque o pessoal não tem computador em casa e, aqui, pode fazer o trabalho escolar e acessar alguma página na internet”. Aos 30 anos de idade, Lotano disse que não nasceu no Cidade Jardim, mas convive por muitos anos naquela região. Questionado se está totalmente livre de investigação, foi direto: “Você está me vendo aqui. Então, estou livre”. Ele quer uma solução, sem burocracia, para o seu caso. “Pago aluguel, energia elétrica, trabalhava sem documentação, mas agora tenho tudo certinho para voltar ao serviço.”

Não sabe

Lotano fala que não sabe de onde veio a ordem para apreender seus computadores e DVDs. “Fui chamado para depor na CPI, também dei depoimento para a delegada, a Dra. Rosana Vanni”. Sobre os DVDs, tem uma história: “Além das máquinas foram apreendidos muitos DVDs, que não estavam expostos para venda, que não era para exibição, era coisa pessoal minha. Já haviam apreendido uma vez, tinha provas e documentos de que eram meus. Estava na gaveta do quarto, trancado, ninguém tinha acesso ao quarto enquanto a lan house estava funcionando”, relata.

Monstros

Lotano diz que o único portal digital do bairro era a sua lan house. “Nunca tinha visto esses monstros por aqui, nem aqui dentro nem em outra parte. Quem tem dinheiro não vem numa lan house”, referindo-se às denúncias de que acusados de pedofilia teriam visitado seu estabelecimento.

Perícia

A juíza Sueli Juarez Alonso, da Vara da Infância e da Juventude, responsável pelo segundo inquérito aberto para apurar crimes sobre pedofilia em Catanduva, disse ao Notícia Online que “as máquinas ainda estão na perícia, e quando os trabalhos forem concluídos serão devolvidas.”

Por Antonio Sergio R. Silva (Barbosa)
Notícia da Manhã
tags:
link do postPor anjoseguerreiros, às 22:31  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Junho 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





arquivos
blogs SAPO