notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
5.1.09
Confesso que tive dificuldades para entender que creche também tem férias. Tudo bem que todo mundo merece um final de ano com a família e um descanso da labuta (aliás, feliz 2009 para todos!) mas parte-se do pressuposto de que a maior parte dos pais que deixa os filhotes na creche não tem onde deixá-los, por isso a necessidade da creche.
Mas enfim... a creche do Gui fechou por vinte dias e ficamos, eu e meu marido, numa situação complicada. Onde deixar nosso pequeno, uma vez que continuamos nossa rotina de trabalho, mesmo com as festas todas? Bem, tivemos que adequar várias situações - num esquema Feitiço de Áquila, meu marido ficou dois dias de folga numa semana e eu, dois dias na outra. Aí ganhamos quatro dias. No dia 24 e 25 de dezembro, assim como nos dias 31 e 1 de janeiro, ficamos todos em casa. Ufa! Mais uma batalha vencida. E nos outros dias, minha empregada e minha sogra, que mora longe, se revezaram para tomar conta do tchutchu.
Que, por sua vez, estranhou esse negócio de ficar longe dos amiguinhos e das tias todas. Acho que ele sentiu falta nos primeiros dias (ao contrário de muita gente, eu fico feliz sabendo que o meu bebê adora as tias e sente falta delas, o que é um bom sinal) e ficou muito agitado. Além disso, na creche ele está sempre gastando energia, que ele acabou consumindo em casa, dando um banho de cansaço em todo mundo.
Num dia, cheguei a ficar sem banho e sem comer até às 17h, porque ele chegou a uma fase em que detesta o carrinho, o cercadinho, o cadeirão, e adora um colo, ficar de pé tentando andar (a gente segurando os bracinhos, claro) ou sentado no tapetão, mas com alguém do lado.
Foram dias difíceis em que o bichinho testou a voz umas 200 vezes - agora que está com mais de oito meses, pegou essa mania. Assim, convivemos com dias e dias de louca gritaria. Some-se a isso o fato de os dentinhos de cima estarem brotando, vocês podem imaginar como a casa ficou animada.
Mas tivemos coisas muito boas - primeiro que mesmo passando aperto, ficamos mais tempo com ele. E eu que não ficava um dia inteiro sozinha com o meu amor (desde o final da licença-maternidade), curti bastante o retorno dessa convivência. Além disso, as doencinhas, que estavam nos deixando doidos, deram uma sumida.
Hoje a creche voltou e lá fui eu deixar meu amorzinho, maiorzinho, com dois dentes a mais e bem mais pesado. Apesar do cansaço, etc, vou sentir falta daquela bagunça doida. E assim voltamos à programação normal...

fonte:MÃES EM REDE
link do postPor anjoseguerreiros, às 12:34  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Janeiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9





arquivos
blogs SAPO