notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
9.6.09
A representante do Unicef no Brasil, Marie-Pierre Poirier, e a coordenadora do Programa de Educação da organização, Maria de Salete Silva, apresentam relatório sobre o acesso de crianças e adolescentes ao ensino no país

BRASÍLIA - Um em cada quatro estudantes de ensino médio no Brasil é reprovado ou abandona a escola. É o que mostra relatório divulgado nesta terça-feira pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Citando dados de 2007, o estudo informa que 12,7% dos jovens matriculados no nível médio foram reprovados e outros 13,2% largaram o estudo, totalizando 25,9%. Amazônia Legal tem cerca de 160 mil jovens fora da escola
- A realidade dos 15 aos 17 anos é um desastre. Se tem desigualdade dos 7 aos 14 anos, dos 15 aos 17 fica pior - diz a coordenadora do Programa de Educação do Unicef no Brasil, Maria de Salete Silva.
Mais de 70% dos municípios atingiram metas de evolução do Ideb em 2007, diz Unicef
As desigualdades são o foco do relatório "Situação da Infância e da Adolescência Brasileira - 2009 - O direito de aprender". O texto destaca que 97,6% da população de 7 a 14 anos frequentava a escola em 2007, mas chama a atenção para o fato de que os 2,4% sem estudar representavam 680 mil crianças e jovens, dos quais 450 mil negros.

Já na faixa dos 15 aos 17 anos, apenas 82,1% dos jovens estudavam, sendo que somente 48% cursavam o ensino médio. Em termos de acesso, a estatística revela que 17,9% dos brasileiros nessa faixa etária estavam fora da escola.
A representante do Unicef no Brasil, Marie-Pierre Poirier, defendeu o aumento de investimentos no ensino, subindo do atual patamar de 4,6% do PIB (Produto Interno Bruto, a soma de riquezas produzidas no país) para 8% do PIB. O Ministério da Educação tem como meta atingir 6%, mesmo índice sugerido por outra agência das Nações Unidas, no caso a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).
- Em relação à pergunta se o Brasil tem dinheiro para isso, sim, o Brasil tem como fazer essa escolha - disse Marie-Pierre. Escolas do Semiárido enfrentam maiores dificuldades para formar crianças e jovens
O Unicef elogia o Plano de Desenvolvimento da Educação lançado pelo presidente Lula em abril de 2007. Segundo Marie-Pierre, o programa aponta o caminho certo. Ela teme, contudo, que o fosso de exclusão cresça, caso o governo não lance mão de políticas específicas para melhorar o ensino de pobres, negros, indígenas e moradores das zonas rurais.
- Se o país só continuar melhorando alguns indicadores, esses que ficam fora podem ficar mais fora ainda - afirmou a representante do Unicef.



O Globo On Line
link do postPor anjoseguerreiros, às 21:12 

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Junho 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9





arquivos
subscrever feeds
blogs SAPO