notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
4.3.09
Lanchonetes fast food estariam estimulando a adoção de hábitos alimentares pouco saudáveis com os brindes´
SÃO PAULO - O Ministério Público Federal em São Paulo informou nesta terça-feira, 3, que recomendou que as redes de fast food Burger King, Bob's e McDonald's suspendam a venda promocional de brinquedos em suas lanchonetes. De acordo com o MP, as empresas têm dez dias para responder a recomendação, que também foi enviada para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para que se manifeste sobre o tema.

O procurador da República Marcio Schusterschitz da Silva Araújo, autor da recomendação, avaliou que os métodos de venda e promoção das lanchonetes são agressivos e fazem a criança adotar um hábito alimentar que não é saudável e que pode ser mantido pela vida inteira. "O brinquedo ou produto adquirido em associação com a comida, mais cedo ou mais tarde, se perderá, mas os hábitos alimentares ou as consequências do consumo de comida, com excesso de gordura ou açúcares, tendem a persistir", afirmou.

O McDonald's e o Burger King informaram que ainda não foram notificados pelo Ministério Público Federal sobre a recomendação de suspender a venda promocional de brinquedos em suas lanchonetes. A rede Bob's também afirmou que ainda não havia recebido nenhuma notificação do Ministério Público e acrescentou que assim que receber o documento, irá responderá ao MP dentro do prazo estipulado. De acordo com o MP, as empresas têm dez dias para responder a recomendação.

Com as promoções "Lanche Bkids", "Trikids" e "McLanche Feliz", as redes Burger King, Bob's e McDonald's, respectivamente, vendem brinquedos junto com um lanche, batata frita e refrigerante. As promoções têm como público-alvo os consumidores infantis e associam personagens de desenhos animados aos lanches.

Segundo destacou o procurador, o Código de Defesa do Consumidor (CDC) proíbe o "uso profissional e calculado da fraqueza ou da ignorância do consumidor infantil". Para Schusterschitz, este público não completou sua formação crítica e não possui "capacidade de distinção e de identificação do intuito lucrativo a apelativo da promoção".

O procurador também chamou atenção para o fato que o Código reitera que a decisão de consumir alimentos deve ser tomada levando-se em conta a qualidade da dieta e não pode "ser ofuscada pelo impulso ou desejo de apropriação de um brinquedo ou objeto com apelo infantil". "A atração do consumidor infantil pela alavanca de brinquedos e produtos com apelo para as crianças retira fundamentalmente o aspecto crítico ou avaliativo sobre o que comer e por que comer", disse o procurador.

Em 2006, o McDonald's assinou um termo de conduta com o MP para que os brinquedos que acompanham o McLanche Feliz fossem também vendidos separadamente. O objetivo da medida era impedir a venda casada dos brinquedos com o lanche. Entretanto, o MP ressaltou que com a "preocupação na saúde da criança, na sua formação e na incompleta condição de seu entendimento", a recomendação enviada às redes de fast food quer retirar os brinquedos como forma de alavancagem para a venda de alimentos de baixo valor nutritivo.

Procurada pela Agência Estado, a rede Bob's afirmou que ainda não havia recebido nenhuma notificação do Ministério Público e acrescentou que assim que receber o documento, irá responderá ao MP dentro do prazo estipulado. Procuradas pela reportagem, as redes McDonald's e Burguer King disseram que iriam se manifestar sobre o assunto apenas no final da tarde de hoje.

tags:
link do postPor anjoseguerreiros, às 08:12  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Março 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





arquivos
blogs SAPO