notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
14.4.09
Quedas já são a sexta causa de mortes de idosos no Brasil, daí a importância de fortalecer músculos e melhorar o equilíbrio

Rio - Fazer exercícios físicos para fortalecer os músculos, melhorar o equilíbrio e aumentar a flexibilidade é prática fundamental na terceira idade. Com isso, são reduzidos os riscos de quedas, a sexta causa de mortes de idosos no Brasil, segundo o Ministério da Saúde. O Rio também está atento ao problema: no segundo semestre, começam as obras da primeira Praça do Idoso/Estação de Prevenção de Quedas do Rio, em Copacabana.
O projeto, da Secretaria Municipal de Envelhecimento e Qualidade de Vida, prevê a instalação de aparelhos para exercícios de ombro, antebraço e punho, reforço de marcha e da musculatura de pernas, entre outros. Os cariocas poderão usar o espaço gratuitamente.
A Universidade Aberta da Terceira Idade, da Uerj, já conta com a Oficina de Prevenção Antiqueda, com aulas grátis. “As atividades melhoram o equilíbrio e a força. Além disso, ensino a maneira correta para se levantar, pois muitos não moram com a família e precisam erguer-se sozinhos”, diz a professora Teresa Duarte.
Para o geriatra do Hospital Badim, Luiz Eduardo Sampaio, a musculação também é importante aliado para evitar os tombos. “O evento mais marcante no envelhecimento é a perda da massa muscular, que acarreta problemas como falta de força, cansaço e diminuição do equilíbrio”, diz.
O aposentado Walter Pereira dos Santos, 70, descobriu a independência após aderir às aulas na Uerj. Ele teve um AVC em 1996, e ficou anos sem falar e andar. “Hoje eu ando, pego ônibus, faço comida e ainda subo em árvores para catar frutas”, garante. Seu xará Walter de Freitas, 81, está na oficina há quatro anos.
“Melhorei muito a agilidade para abaixar e levantar. Antes ficava muito parado e sentia muitas dores nas articulações. Quando caía, precisava de ajuda. Hoje não dependo de ninguém para isso. Sou mais feliz”, afirma.

OUTRAS FORMAS DE PREVENÇÃO

PERIGOS DOMÉSTICOS

Cerca de 50% dos tombos ocorrem em casa, segundo a Sociedade Brasileira de Otologia. E 25% deles são resultado de perigos domésticos, como pisos escorregadios, pouca luminosidade e disposição inadequada de móveis. O grande vilão é trajeto quarto-banheiro, principalmente à noite, quando o idoso está mais lento.

CASA MAIS SEGURA

Além dos exercícios físicos, também é preciso adaptar a residência do idoso para evitar os tombos. Algumas providências importantes são: colocar tapetes antiderrapantes e bancos no chuveiro; instalar barras de apoio no vaso sanitário, chuveiro e corredores; manter uma luz acesa durante a noite, para o caso de o idoso se levantar da cama; evitar tapetes e quinas nos móveis; evitar animais pequenos soltos dentro de casa que podem fazer o idoso tropeçar.

EVITANDO RISCOS

É muito importante que o idoso tente evitar situações de risco para quedas. Entre elas, estão andar no chão molhado, subir em escadas ou bancos, usar calçados escorregadios ou saltos altos, se sentar ou se levantar muito rápido.

CAUTELA COM REMÉDIOS

Idosos costumam precisar fazer uso de medicamentos. Mas não devem, de maneira nenhuma, utilizar os produtos sem recomendação do médico. Isso porque muitas substâncias presentes nos medicamentos são imensos fatores de risco para as quedas: elas alteram o equilíbrio e podem fazer cair a pressão arterial.


link do postPor anjoseguerreiros, às 20:36  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Abril 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9





arquivos
blogs SAPO