notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
25.5.09
Durante toda a semana, uma ação promovida pelo Gead e pela 2ª Vara no Plaza Shopping conscientiza sobre a importância do gesto e oferece orientação jurídica gratuita

Nesta segunda-feira (25) é o Dia Nacional da Adoção. Estima-se que, no Brasil, existem cerca de 80 mil meninas e meninos espalhados pelos abrigos - é quase o número total de habitantes de Igarassu, cidade da Região Metropolitana do Recife. Para adotar um filho, é preciso seguir as normas da justiça. Também é necessário ter equilíbrio psicológico para lidar com as situações que podem surgir no futuro. Adoção é para sempre? Quais os direitos e deveres de pais e filhos? São muitas dúvidas.
Para responder a essas e outras questões, o juiz Élio Braz, da 2ª Vara da Infância e Juventude, e Eneri Albuquerque, vice-presidente do Grupo de Estudos e Apoio à Adoção (Gead) foram ao Bom Dia Pernambuco desta segunda. Atualmente existem cerca de 400 crianças nos mais de 30 abrigos pernambucanos.
A especialista Eneri Albuquerque explica que as crianças que aguardam a adoção precisam ter um acompanhamento psicológico. “Os abrigos têm equipes compostas de psicólogos, assistentes sociais, profissionais responsáveis por essa área”, diz. Os futuros pais também passam por uma avaliação. “Fazemos um estudo psicossocial dos pretendentes”.
O Gead também possui um grupo de apoio para preparar os pretendentes à adoção, composto por pais que já adotaram. “As pessoas hoje estão mais abertas para adotar grupos de irmãos, maiores, por exemplo”.

Segundo o juiz Élio Braz, a lei proíbe separar os irmãos. “O que a justiça faz é reencaminhar essas crianças para parentes, uma avó ou um tio, se eles tiverem condições”. Ele lembra um caso recente. “Uma família acabou de adotar quatro irmãos, de oito a 15 anos, aqui no Recife”, conta. “Foi uma grande surpresa para nós. O preconceito está sendo vencido pelo amor”.

Eneri Albuquerque diz que o segredo para que a criança não se sinta rejeitada no futuro é contar a verdade para ela desde pequena. “Quanto mais cedo, os estudiosos recomendam por volta dos dois anos de idade”, afirma.
“Os pais devem dizer que ela é filha adotiva e a deixar buscar as origens, se ela quiser. Também é importante usar livros e filmes infantis com personagens adotados, para criança se sentir inserida”.
O juiz concorda. “A criança tem seu tempo, ela vai querer saber de onde veio. A adoção é um processo que acontece com todas as pessoas, mesmo nossos pais biológicos tiveram de nos adotar”, completa. “Não há diferença entre o filho biológico e o adotivo, todos os direitos, inclusive previdenciários, estão garantidos”.

REQUISITOS
Para dar entrada em um processo de adoção, é preciso ter mais de 18 anos, dispor de boas condições de saúde física e moral, ter endereço fixo e uma renda que possibilite a pessoa sustentar a criança. “Tudo isso tem que ser comprovado com documentos”, observa o juiz.
“Basta entrar em contato com o juizado, dizer as características que espera da criança, e nós vamos encaminhar. É preciso apenas ter amor no coração, não há preconceitos com cor ou opção sexual”.
Élio Braz lembra que já existe um cadastro nacional de adoção, que é utilizado para fazer um cruzamento dos dados das crianças e dos casais de todo o país. “O Recife já tem três crianças adotadas por pais de outros estados brasileiros”, conta. As crianças maiores também podem ser apadrinhadas.
O juiz afirma também que, no caso de a pessoa encontrar uma criança abandonada, o procedimento recomendado é levá-la à justiça ou à polícia para fazer a ocorrência. “O bebê pode ter sido fruto de roubo e você pode estar levando um problema para casa”, adverte.
Durante toda a semana, representantes da 2ª Vara da Infância e da Juventude, do Gead e de outras entidades de apoio à adoção realizam uma ação para comemorar a Semana da Adoção no Plaza Shopping de Casa Forte. “Estarei lá pessoalmente respondendo perguntas e dando informações às pessoas”, garante o juiz Élio Braz. O evento segue até este domingo (31).
A 2ª Vara da Infância e da Juventude fica na Rua Dr. João Fernandes Vieira, 405, no bairro da Boa Vista, no Recife. O telefone do juizado é o (81) 3412-3000. Já o Gead fica na Rua Padre Landim, 312, Torre. O grupo promove reuniões mensais, sempre aos segundos sábados do mês, às 16h.


Da Redação do pe360graus.com
link do postPor anjoseguerreiros, às 10:14  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Maio 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9






arquivos
blogs SAPO