notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
30.5.09

SÃO PAULO - O governo de São Paulo mandou retirar mais quatro livros das escolas da rede pública estadual nesta sexta-feira. De acordo com a secretaria de Estado da Educação, as obras, que faziam parte do programa de melhoria da alfabetização, tinham conteúdo preconceituoso e eram inadequadas para a faixa etária a que estavam destinadas. Não foi informado o número de exemplares que foram distribuídos. Até agora, seis dos 817 livros do programa "Ler e Escrever" foram recolhidos. Uma sindicância está apurando as responsabilidades pelos erros no processo de seleção e compra dos títulos.
Dos quatro livros retirados da lista nesta sexta-feira pelo governo José Serra um continha conteúdo preconceituoso: "Um Campeonato de Piadas", de Laerte Sarrumor e Guca Domenico, da editora Nova Alexandria. Por serem inadequados para a faixa etária estavam: "O Triste Fim do Menino Ostra e Outras Histórias", de Tim Burton, da editora Girafinha; "Memórias Inventadas - A Infância", de Manoel de Barros, da editora Planeta, das salas do Programa de Recuperação Intensiva da quarta série; e "Manual de Desculpas Esfarrapadas: casos de humor", de Leo Cunha, editora FTD. Esse último era dedicado às salas do Programa de Recuperação Intensiva da 4ª série.
O secretário Paulo Renato Souza, ex-ministro da Educação, resolveu fazer um pente fino na lista do programa depois que foram descobertos os primeiros livros com conteúdos inadequados. Nesta quinta-feira, Paulo Renato anunciou a retirada de um material de apoio para alunos do 3º ano do ensino fundamental. Havia tom irônico e de difícil compreensão para as crianças em uma da poesia 'Manual de auto-ajuda para supervilões', escrita pelo poeta mato-grossense Joca Reiners Terron. Uma frase diz: 'Nunca ame ninguém. Estupre'.
No mesmo poema, os alunos ainda encontraram frases como 'Tome drogas, pois é sempre aconselhável ver o panorama do alto' e 'Seja um pouco efeminado. Isso sempre funciona com estilistas'. A outra poesia, 'Perdido nas cidades', tem um trecho que fala de um esquimó: "Meu amigo esquimó nunca me deixa só. E, quando estou prestes a congelar, ele mija em cima de mim". O livro foi selecionado por um grupo de professores do programa "Ler e Escrever". Segundo Paulo Renato, o material é destinado a adolescentes e não a crianças de 9 anos. Ele admitiu que o livro pode causar problemas nos desenvolvimento das crianças.
Na semana passada, o governo já havia mandado recolher mil exemplares de um livro que continha palavrões e expressões de conteúdo sexual: "Dez na área, um na banheira e Ninguém no Gol, uma coletânea de histórias em quadrinhos de vários autores sobre futebol, também distribuído para a terceira série.
Em março, alunos da 6ª série do ensino fundamental receberam livros de Geografia com informação errada, em que o Paraguai aparecia duas vezes no mapa e o Equador sequer era ilustrado.
Paulo Renato explicou que a Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE) compra os livros, que são encaminhados para os coordenadores pedagógicos do programa Ler e Escrever. Segundo ele, houve erro grave na seleção dos livros e não foram seguidos os critérios definidos pela própria equipe da FDE.
- Logo que surgiu o primeiro problema, pedimos à coordenação do programa que revisasse os livros - disse Paulo Renato.
Em Santa Catarina, a Secretaria de Educação começou a recolher na quinta-feira 130 mil exemplares da obra "Aventuras Provisórias", do escritor catarinense Cristóvão Tezza, que haviam sido distribuídos às escolas da rede estadual, após a reclamação de duas professoras, uma de Joinville, no norte do Estado, e outra de Criciúma,
do Sul, que consideraram o vocabulário do livro inadequado para alunos do ensino médio.

Fonte: Globo
link do postPor anjoseguerreiros, às 20:35  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Maio 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9






arquivos
blogs SAPO