notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
19.5.09

Estudantes realizam passeata munidos de faixas e cartazes

Na segunda-feira (18), no Município de Brasilândia estudantes realizaram uma manifestação em combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. A Prefeitura Municipal de Brasilândia, por meio da Secretaria de Assistência Social juntamente com o CRAS (Centro de Referência Social da Assistência Social) e o Conselho Tutelar aderiram a Campanha Nacional de Combate ao Abuso sexual juvenil e entregaram panfletos conscientizando a população sobre a importância da denúncia e o combate.
Pela manhã, alunos munidos de faixas, cartazes e panfletos explicativos realizaram uma passeata pelas avenidas principais da cidade. Os alunos pertencem cursam o Ensino Médio da Escola Estadual Adilson Alves e Escola Municipal Antônio Henrique Filho.
A noite houve apresentação de danças e teatros na Concha Acústica da cidade com o intuito de ressaltar a importância do enfrentamento a violência sexual, ou seja, não podemos nos calar diante esta realidade.


Abuso

A conselheira tutelar Angélica Cardamone falou que de acordo com dados da Secretaria Especial dos Direitos Humanos, no Brasil uma criança é vítima de abuso a cada oito minutos independente da classe social. O abuso vem acompanhado de violência psicológica e física.
O fato chocante é que 90% dos casos de abuso sexual o molestador é alguém com quem a vítima convive como o pai, padrasto, tios, avós, irmãos e vizinhos. Isso dificulta a identificação do agressor, uma vez que a vítima tem medo de denunciar o parente.
A campanha é justamente para isso. O combate. Não importa quem seja o agressor ele tem que ser denunciado e punido pelo ato.

O Dia

O dia 18 de maio foi instituído pela Lei Federal nº 9970 como o Dia Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, em razão do crime que comoveu toda a Nação Brasileira, conhecido como “Crime Araceli”, em que uma menina de oito anos foi cruelmente assassinada, após ter sido estuprada em Vitória, no Espírito Santo.
Essa data criou força emblemática em Salvador, em 1998, quando cerca de 80 entidades públicas e privadas reuniram-se para discutir o tema, fazendo referência a esse crime que chocou o País por sua brutalidade. Araceli Cabrera Sanches, oito anos, foi seqüestrada, espancada, drogada, estuprada e morta por integrantes tradicionais famílias da sociedade capixaba dos anos 70. Mais de trinta anos depois, os assassinos continuam impunes.
Transformada em projeto de Lei , pela deputada Rita Camata, a proposta elaborada pelo CEDECA/BA de que esse seja o Dia Nacional do Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, foi aprovada pelo Congresso Federal, passando o dia 18 de maio a integrar o calendário oficial do País.
A intenção em destacar a data tem por objetivo mobilizar e convocar toda a sociedade a participar da luta pela prevenção e enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes, constatando-se a necessidade de formar uma consciência nacional para denunciar e romper com esse ciclo de violência no Brasil.

Slogan da Campanha permanente: “Esquecer é permitir. Lembrar é Combater”.

Em Mato Grosso do Sul, a mobilização alcança a todos os 78 municípios. Governo do Estado, por meio da SETAS, e em parceria com o COMCEX/MS- Comitê de Enfrentamento à Violência, abuso e Exploração Sexual e com CEDCA/MS – Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, motiva essas mobilizações desenvolvidas pelos órgãos municipais, com orientações e informações relativas ao tema. Dessa forma serão realizadas panfletagens, palestras educativas e seminários, promovidos pelas comissões locais e Conselhos de Direitos e Tutelares.

FONTE: Agora Mato Grosso do Sul
link do postPor anjoseguerreiros, às 18:59  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Maio 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9






arquivos
blogs SAPO