notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
29.4.09
Roberto Podval, o novo advogado de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, visitou nesta quarta-feira pela primeira vez o casal nas penitenciárias de Tremembé, nas quais estão presos desde maio do ano passado. Podval esteve primeiro na Penitenciária Doutor Augusto César Salgado (P-2), onde está Alexandre. O advogado chegou por volta de 10h30 e permaneceu durante cerca de uma hora e meia no local. Posteriormente, o advogado se encontrou com Anna Carolina na Penitenciária Feminina Santa Maria Eufrásia Pelletier, também por cerca de uma hora e meia. O casal é acusado pela morte da menina Isabella, filha de Alexandre Nardoni.
O antigo advogado, Marco Polo Levorin abandonou o caso no dia 14 de abril, segundo ele, por causa de divergências profissionais e processuais. Contudo, o advogado disse na época que não houve divergência com o casal, mas não quis dar maiores detalhes.
Durante os encontros, Podval se apresentou ao casal e os informou sobre as estratégias que a defesa adotará no caso. O advogado não quis informar quais serão estas estratégias. Segundo Podval, mesmo com as sucessivas derrotas na Justiça, Alexandre e Anna Carolina ainda mantêm esperanças de responder ao processo em liberdade.
"Ainda estamos estudando a possibilidade de pedir um novo habeas-corpus, mas ainda não temos nada programado." Na última terça, a 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) negou os pedidos de embargo apresentados por Podval para tentar anular o processo existente contra o casal pela morte da menina Isabella Nardoni.
"Vamos recorrer ao STJ (Superior Tribunal de Justiça) e ao STF (Supremo Tribunal Federal)", afirmou o advogado. O casal é acusado de assassinar a menina na noite de 29 de março do ano passado. Isabella foi encontrada ferida no jardim do prédio onde moram o pai e a madrasta, na zona norte de São Paulo. A menina ainda teria sido levada com vida ao Pronto-Socorro, mas não resistiu aos ferimentos e morreu por volta de meia-noite.
A prisão preventiva do casal foi decretada no dia 7 de maio pelo juiz Maurício Fossen, que acatou a denúncia do promotor Francisco Cembranelli por homicídio triplamente qualificado. Em seu despacho, o juiz justificou a prisão com a necessidade de garantia da ordem pública e de manutenção da credibilidade da Justiça. O advogado reconheceu a materialidade do crime e indícios concretos de autoria.
Alexandre e Anna Carolina serão levados a júri popular, mas ainda não há uma data definida para o julgamento.

Relembre o caso
Isabella Nardoni, 5 anos, foi encontrada ferida no dia 29 de março de 2008 no jardim do prédio onde moravam o pai Alexandre Nardoni e a madrasta Anna Carolina Jatobá, na zona norte de São Paulo. Segundo os Bombeiros, a menina chegou a ser socorrida e levada ao Pronto-Socorro da Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos e morreu por volta da 0h.
O inquérito policial apontou que ela foi agredida, asfixiada e jogada do sexto andar do edifício. No dia 18 de abril, Alexandre e Anna Carolina foram indiciados por homicídio doloso, triplamente qualificado. No dia 6 de maio, o promotor Francisco Cembranelli denunciou e pediu a prisão preventiva do casal, aceita pela Justiça.
No último dia 24, a Justiça de São Paulo negou recurso do casal e determinou que os dois devem ir a júri popular.
Marcelo Pedroso
fonte: Notícias Terra
link do postPor anjoseguerreiros, às 17:34  comentar

De Anónimo a 29 de Abril de 2009 às 23:25
É questão de tempo.
Apostamos todas as nossas fichas na condenação.

De Maria Célia a 30 de Abril de 2009 às 11:36
Acreditamos que sejam culpados, mas esse advogado foi procurado por suas artimanhas perante o júri.
Vamos torcer para que a Justiça seja feita!
Obrigada pela visita
Maria Célia e Carmen

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Abril 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9





arquivos
blogs SAPO