notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
30.1.09
PORTO ALEGRE - Chega a onze o número de número de mortos, no Rio Grande do Sul, por causa do mau tempo. Na tarde desta sexta-feira, foi encontrado o corpo do lenhador Leandro Marques Ferreira, de 25 anos, junto a uma árvore no interior de Pelotas. A vítima era considerada desaparecida desde quarta-feira à noite.
Na manhã desta sexta-feira, foram encontrados outrostrês corpos de vítimas da chuva. Eles estavam dentro do Arroio Fragata, próximo ao km 527 da BR-116, mesmo local onde na manhã desta sexta foi encontrado o corpo de José Fagundes de Andrade, 51 anos. Um deles é Adão Luiz Martinez de Almeida, 49 anos, o maquinista do trem que descarrilou no início da madrugada de quinta-feira. A outra vítima encontrada é Osmar Renato Cruz Costa, 17 anos, caroneiro de uma moto que caiu no arroio na quinta-feira.
Um novo corpo foi retirado por volta 13h40m do mesmo local. Seria uma senhora que teria voltado ao arroio para tentar resgatar seus animais e acabou morrendo afogada. O Corpo de Bombeiros de Pelotas ainda busca cinco pessoas que estariam desaparecidas.
Entre os mortos, está uma criança de um ano e quatro meses, que foi arrastada pela correnteza, também em Capão do Leão. A inundação destruiu pontes, isolou cidades, danificou carros e, de tão devastadora, conseguiu até descarrilar um trem da América Latina Logística (ALL).
Na BR-116, que liga Porto Alegre a cidades do Sul do estado, automóveis foram arrastados pelas águas. O comerciante José Teodoro Schneid contou, ao perceber que tinha perdido o controle de seu Gol, que retirou às pressas a mulher, grávida de seis meses, e a sogra. Com água pela cintura, viu o automóvel ser tragado pela correnteza. O carro foi localizado a 500 metros de distância, capotado e destruído. Ele ia de Pelotas a São Lourenço, onde mora.
Morador da Vila Anderson, em Turuçu (RS), o agricultor Vilmar da Silva, de 53 anos, foi arrastado pela enxurrada quando estava dormindo. Pai de cinco filhos, Vilmar tinha dificuldades para andar por causa de um infarto sofrido há dois anos.
- A gente ouvia ele pedir ajuda, mas não dava mais para chegar lá. A água já estava no pescoço - relatou Carlos Renato da Silva, de 50 anos, que ajudou a resgatar vizinhos com boias e cordas.
Mais da metade da área urbana de Turuçu, de 4 mil habitantes, foi alagada. O prefeito decretou situação de emergência. Bombeiros de Porto Alegre usaram canoas para chegar às casas. Isaura Rodrigues de Lima, de 43 anos, o marido, os cinco filhos e a neta escalaram o telhado para fugir das águas que subiam assustadoramente. Isolados, gritaram por socorro por duas horas, até serem alcançados pelos salva-vidas.
A ALL contratou mergulhadores para buscar o maquinista da composição que descarrilou na ferrovia entre Canguçu e Pelotas. Ele não foi localizado até a noite desta quinta.
Na manhã de quinta-feira, os corpos de duas pessoas foram localizados nas margens no Arroio Fragata, no km 528 da estrada que liga Porto Alegre a Jaguarão (BR-116), no limite entre Pelotas e Capão do Leão. A ponte que passava pelo arroio foi arrancada pela força da água. Ivanir Castro Rodrigues, 43 anos, dona de casa e Pedro Rodrigues, 54 anos, mecânico, eram de Capão do Leão e tinham levado o filho Amauri ao trabalho. O casal morto deixa três filhos: Amauri, 29 anos, Namur, 31 anos, e Pedro Ricardo, 25 anos. Em Pelotas, quase 500 pessoas estão desabrigadas
Depois de três dias de intensa chuva e muitos prejuízos o tempo volta ao normal no Rio Grande do Sul, com previsão de chuvas esparsas. Pelotas, no sul do Rio Grande do Sul, depois de mais de 24 horas de chuva, conta com 488 desabrigados nesta sexta-feira. Desse total, 323 pessoas foram deslocadas para o ginásio do Colégio Pelotense. Outros 80 estão divididos em quatro abrigos de passagem e 85 foram alojados em uma entidade social localizada na região central do município.
A cidade está mobilizada para recolher doações às pessoas atingidas. Os donativos devem ser enviados para a Rua Deodoro da Fonseca, 404. O telefone para maiores informações é o 53 - 3225-8222.
Como entre os desabrigados estão cerca de 50 crianças, as fraldas e a água potável são os itens mais necessários, segundo a prefeitura do município. O Restaurante Popular de Pelotas está disponibilizando refeições para as famílias desabrigadas.



fonte:http://oglobo.globo.com/pais/mat/2009/01/30/sobe-para-11-numero-de-mortos-por-causa-da-chuva-no-rs-754206349.asp

link do postPor anjoseguerreiros, às 19:33  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Janeiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9





arquivos
blogs SAPO