notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
17.3.09
BERLIM - Josef Fritzl, o homem que está sendo julgado por ter aprisionado e estuprado a própria filha por 24 anos, na Áustria, ainda tenta lucrar com os crimes que cometeu. Alegando que planeja angariar recursos para as suas vítimas - Elisabeth, que hoje tem 42 anos, e os seis filhos que teve com ela -, o engenheiro austríaco ofereceu a casa que serviu de palco para os seus show de horror, em Amstetten, para o uso como atração turística, revela reportagem publicada no O Globo desta terça-feira. Segundo o advogado de Fritzl, Rudolf Mayer, o réu, que está falido, também negocia entrevistas remuneradas. O valor pedido? Até 1 milhão.

A casa em questão, onde Fritzl manteve uma vida dupla - ele morava com a mulher, Rosemarie, nos andares superiores, onde Elisabeth Fritzl cresceu e viveu até ser sequestrada pelo pai -, tem mil metros quadrados de área. Desde abril do ano passado, o imóvel está lacrado pela polícia .
Fritzl tinha um patrimônio no valor de 2 milhões, formado por imóveis e alguns negócios. Mas, com a sua prisão, as dívidas começaram a crescer e somam hoje cerca de 3 milhões. Em fevereiro último, foi iniciado um processo de insolvência, durante o qual os bens serão usados para o pagamento de pelo menos parte das dívidas (Leia também: 'Nasci estuprador', diz Fritzl em avaliação psiquiátrica )
Toda a família vive da ajuda do governo. Rosemarie, de 70 anos, que se casou com Fritzl quando tinha apenas 17 anos de idade, acaba de pedir o divórcio e passou a receber ajuda financeira do Estado. Também Elisabeth e os seus filhos, que receberam novas identidades e vivem em uma cidade cujo nome não é revelado no norte da Áustria - apenas durante o julgamento do pai e avô os sete estão hospedados na clinica neurológica de Amstetten - deverão ser apoiados financeiramente pelo Estado durante a vida inteira.

Fritzl negocia entrevistas remuneradas
Enquanto Elisabeth e os seis filhos, ainda bastante marcados pelo trauma, recusam-se a dar qualquer entrevista, Josef Fritzl chegou a negociar um encontro com a imprensa inglesa, que não deu certo porque o jornal não aceitou pagar a quantia exigida por ele, e deverá dar em breve, por ocasião da sentença, um depoimento a uma agência de notícias, também inglesa, pela qual vai faturar 1 milhão.
Segundo o jornalista Heinz Sichrovsky, da revista "News", Fritzl ofereceu o seu caso para estudo, alegando ser o "principal ator" da questão. Em troca de remuneração, ele estaria disposto a "abrir o abismo da sua personalidade" ( Veja imagens de Josef Fritzl ) .
O julgamento de Josef Fritzl, que começou nesta segunda-feira, está sendo chamado de processo do século. Josef Fritzl será julgado por três juízes e oito jurados. Embora a sentença seja decidida pelos jurados - cujos nomes foram mantidos em sigilo até agora -, caso estes optem por uma absolvição, uma possibilidade mais do que remota, a juíza-chefe poderá anular a sentença. Fritzl será acusado de estupro, escravidão, homicídio culposo (pelo filho morto por falta de ajuda) e incesto.
Se for considerado culpado em todos os casos, ele deverá pegar prisão perpétua, que seria cumprida na clínica psiquiátrica da penitenciária. O acusado é réu confesso, mas a expectativa é que a defesa tente provar sua inocência na acusação de homicídio e atenuar a pena para 15 anos.
Mas mesmo se absolvido da acusação de homicídio, Fritzl deve passar o resto da vida na cadeia graças ao relatório da psiquiatra Adelheid Kastner, que tem na bagagem profissional a análise dos casos de mais de 500 estupradores e assassinos. Segundo ela, o acusado tem compulsão por dominar mulheres, possuir pessoas e tem convicção de que, nas próprias palavras de Fritzl, ele "nasceu para ser um estuprador". A sentença deverá ser anunciada na sexta-feira.


link do postPor anjoseguerreiros, às 08:08  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Março 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





arquivos
blogs SAPO