notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
1.4.09
Conhecida pelo presidente como “tia Zeituni,” a queniana de 56 anos recebeu permissão de um juiz para reabrir o seu processo de asilo nos EUA.

Tia ilegal de Obama encara tribunal em Boston
Hoje a tia ilegal do presidente Barack Obama encara a corte de Imigração em Boston. Parece até brincadeira de 1º de abril, mas não é. Zeituni Onyango, de 56 anos, teve seu pedido de asilo nos EUA negado e foi ordenada a sair do país. Ao invés de retornar ao Quênia, Zeituni foi morar num conjunto habitacional custeado pelo governo em Boston.
A identidade da meio-irmã do pai de Obama foi revelada no calor da campanha presidencial. E na ocasião o então senador Obama disse que não sabia ter um parente vivendo ilegalmente nos EUA. No seu livro de memórias “Dream from My Father,” Obama se refere a senhora como
“tia Zeituni,” a que ele teria conhecido em viagem ao Quênia em 1988. Em 2008, 343 quenianos pediram asilo nos EUA através das cortes de Imigração. Um número baixo se comparado com 9,250 chineses e 6.424 salvadorenhos.
Embora não se conheça a razão que ela está alegando para ficar nos EUA, sabe-se que o Quênia ainda está fraturado por várias crises políticas e civis, desde que o país africano se libertou do domínio inglês em 1963. Somente no ano passado, mais de 1 mil pessoas foram mortas por conta de uma disputa presidencial em que candidatos que representam tribos alegam terem ganho as eleições.
Por mais que possa parecer “privilégio” à tia do presidente dos EUA, um juiz aceitou reabrir o processo asilo para Zeituni em dezembro. Enquanto ativistas defensores dos imigrantes nos EUA alegam que Zeituni “é um símbolo de como o sistema imigratório americano está falido,” críticos exigem que a tia queniana de Obama receba o mesmo tratamento dado a qualquer cidadão.
“A autoridade moral do presidente já foi comprometida por causa da situação irregular da sua tia,” disse dan Stein, presidente da ONG direitista Federation for American Immigration Reform. Da Casa Branca, o porta-voz Ben LaBolt disse que “o presidente acredita que este caso deve cursar os passos ordinários, nem ele ou qualquer funcionário dele vai se envolver.” O julgamento de Zeituni Onyango vai ser realizado em regime fechado à imprensa, como pediu a advogada da queniana, Margaret Wond.

Caso de tia da Obama será julgado em 2010
Usando uma peruca cacheada vermelha, Zeituni Onyango, a tia ilegal do presidente Obama, apareceu brevemente no tribunal de imigração em Boston hoje. O juiz Leonard Shapiro deu permissão a Zeituni para permanecer nos EUA até 4 de fevereiro de 2010, quando o seu pedido de asilo no país será julgado.
A audiência fechada durou menos de 15 minutos, e aconteceu numa saleta – com tapete vermelho e 9 bancos – do terceiro andar de um prédio com vista para a prefeitura de Boston. A queniana Zeituni é meio-irmã do pai de Obama e entrou com pedido de asilo em 2002. O seu pedido foi negado e sua deportação ordenada em 2003. Na época, Zeituni veio morar num conjunto habitacional custeado pelo governo em Boston. Depois que sua identidade foi revelada em plena campanha presidencial no ano passado, ela foi morar em Cleveland, Ohio, com parentes.
Segundo Ilana Greenstein, uma advogada de imigração de Boston, é comum os juízes de imigração marcarem as audiências para até 18 meses depois. Hoje a advogada de Zeituni, Margaret Wong, disse que a base do argumento da sua cliente é a violência que atinge o Quênia. A tia de Obama entrou nos EUA em 2000.


fonte:http://oglobo.globo.com/blogs/brasilcomz/
link do postPor anjoseguerreiros, às 19:34  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Abril 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9





arquivos
blogs SAPO