notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
19.5.09
OAB/AL e conselheiros tutelares em palestras para mães e alunos (Foto: Adelaide Nogueira)

Palestras educativas foram oferecidas na Brejal

Foi lançado na manhã desta segunda-feira (18), na Escola Municipal Valter Pitombo Laranjeira, localizada na Vila Brejal, o projeto ‘Direitos Humanos contra a Pedofilia’, uma iniciativa da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional de Alagoas – OAB/AL.
Durante o evento, que contou com a participação do presidente da Comissão, Gilberto Irineu, e com dezenas de conselheiros tutelares, mães e alunos puderam acompanhar relatos de famílias que já foram vítimas da violência sexual infantil e também de violência doméstica.
“Resolvemos lançar o projeto hoje por causa do Dia Nacional de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Essa é uma parceria com os Conselhos Tutelares de Maceió e vai durar até o final do ano”, explicou o presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB/AL.

Relatos de fatos ocorridos
O depoimento da dona de casa Maria Luciene Dias, moradora do Dique Estrada, emocionou a quem esteve presente. Ela contou que, junto com suas filhas, uma de 9 e outra de 11 anos, passou por momentos de sofrimento por causa do desvirtuamento de homens com que elas mantiveram contato.

“Minha filha mais nova saiu com uma amiguinha, que chamou-a para pedir dinheiro nos bares aqui da orla lagunar. Um homem chegou a oferecer R$ 15,00, mas impôs a condição de sair com elas. Ele disse que queria dá uma volta com as crianças e, por pouco, elas não entraram no carro com ele. A polícia chegou e percebeu a má intenção daquele monstro. As meninas voltaram para casa com os policiais militares e o homem foi encaminhado para a delegacia. Soube que ele seria indiciado por tentativa de estupro”, relembrou.

“A minha outra filha, de 11 anos, passou três dias sumida de casa. Quando reapareceu, ela contou que estava com um jovem. Nunca conseguimos descobrir quem ele é e até onde abusou sexualmente dela. É por isso que aconselho, não deixem mais suas filhas por aí e observem sempre os corpos delas. Os sinais podem estar à vista e a gente não consegue perceber ”, orientou.

Outros casos
Também houve palestras com psicólogos. Numa delas, foi contado o caso de uma adolescente de 14 anos, que tem deficiência na fala e foi violentada sexualmente por quatro homens que invadiram a casa dela durante uma madrugada em que os seus pais tinham saído. “Queremos mostrar às comunidades que os casos existem, deixam seqüelas e precisam ser denunciados. No final de cada evento, vamos deixar os telefones de contato e explicar em quais órgãos a queixa pode ser prestada”, esclareceu Gilberto Irineu. Ele também informou que um Grupo contra a pedofilia está sendo formado aqui em Maceió. “Temos que combater a pedofilia em todas as regiões. Aqui na Vila Brejal, no Bom Parto e no Dique Estrada, por exemplo, os índices de denúncias são muito altos. O caso mais recente envolve uma criança de apenas sete anos que foi estuprada pelo pai dentro de casa. Um conselheiro tutelar conseguiu convencer a mãe a fazer a denúncia e o agressor está sendo investigado”, explicou o presidente da Comissão de Direitos Humanos. A próxima etapa do projeto acontecerá agora em junho, no bairro do Jacintinho.

Janaina Ribeiro e Adelaide Nogueira


gazetaweb.com
link do postPor anjoseguerreiros, às 08:02  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Maio 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9






arquivos
blogs SAPO