notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
4.1.09
MEC distribui já este ano material sobre a reforma ortográfica. Prazo para adaptação é de quatro anos

Rio - Quando o ano letivo começar, em fevereiro, os estudantes do Rio travarão os primeiros contatos com a nova Língua Portuguesa, em vigor desde quinta-feira. Na rede pública, os livros didáticos adaptados só começarão a ser distribuídos em 2010, mas o MEC já prepara material com instruções sobre a reforma para uso em sala de aula. A definição completa das regras pela Academia Brasileira de Letras sairá apenas mês que vem.A secretária municipal de Educação, Cláudia Costin, disse que usará os 29 mil notebooks distribuídos aos mestres do município para realizar essa capacitação: “Já no primeiro bimestre, esse conteúdo começa a ser repassado gradativamente aos alunos de todas as séries”. A Secretaria Estadual de Educação, por sua vez, aguardará a definição completa das mudanças e já recomendou às escolas que não se comprem gramáticas, em virtude de todas as alterações não terem sido fixadas.Em 2010 chegarão os novos 70 milhões de livros dos alunos do primeiro ao quinto ano do Ensino Fundamental. Os do sexto ao nono ano receberão em 2011. Em 2012, será adaptado o material didático das três séries do Ensino Médio. O Brasil tem 4 anos, até 31 de dezembro de 2012, para se adaptar ao acordo que unifica a grafia da língua nos 8 países que falam o idioma. O português é a sexta língua mais falada do mundo, usada por 230 milhões de pessoas. VESTIBULAR, SÓ EM 2012O chefe do departamento de Língua Portuguesa do Colégio Pedro II, professor Manoel de Carvalho Almeida, defende que os alunos comecem a lidar já este ano com as novas regras: “As alterações não são tão profundas em relação ao português do Brasil. Vale a pena investir quando as regras estiverem todas definidas para que os alunos comecem a se familiarizar”.Algumas editoras já estão lançando livros didáticos, dicionários e gramáticas adaptados ao acordo. A maioria das escolas particulares começará o ano abordando o assunto em sala. “Pretendemos introduzir a nova ortografia a partir deste ano. Não acho que demorarão a se adaptar. Não vamos cobrar a nova regra em provas e redações: só será exigida nos vestibulares a partir de 2012”, diz a professora Maria Lúcia Nunes da Silva, coordenadora de Português do Centro Educacional da Lagoa (CEL).PUBLICAÇÕES SEM VALIDADE
Apesar de várias publicações já estarem sendo editadas com as novas regras, elas não terão sua validade reconhecida até a publicação do ‘Vocabulário ortográfico da Língua Portuguesa’, da Academia Brasileira de Letras, que será lançado em fevereiro e esclarecerá pontos obscuros do acordo, como o uso do hífen.Como algumas das modificações ainda dependem de uma definição mais precisa, qualquer publicação lançada antes de um esclarecimento oficial poderá ser considerada incompleta.“O problema do hífen poderia ter sido resolvido definitivamente, porque não é um conjunto de regras 100% eficiente”, explica o filólogo e professor da Uerj José Pereira da Silva. O presidente da Comissão de Língua Portuguesa do MEC, Godofredo de Oliveira Neto, elogia a mudança: “O importante é o reforço da língua nos fóruns internacionais. Os documentos da ONU estão em português do Brasil e de Portugal”.


fonte:O DIA Online
link do postPor anjoseguerreiros, às 21:33  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Janeiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9





arquivos
blogs SAPO