notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
26.3.09
RIO - O clima foi de emoção entre os homenageados na noite de entrega do Prêmio Faz Diferença, concedido pelo jornal O GLOBO aos que mais contribuíram para transformar o Brasil. A antropóloga e ex-primeira-dama Ruth Cardoso, falecida em junho do ano passado , foi a grande premiada, com o título Personalidade 2008, sendo representada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso na cerimônia na noite desta quarta-feira, no Copacabana Palace, no Rio. Outros 15 brasileiros receberam prêmios.
O ex-presidente disse que Ruth teria ficado muito feliz se tivesse participado da premiação por conta das histórias de superação e de luta descrita pelos 15 premiados. O ex-presidente recebeu o prêmio das mãos do vice-presidente das Organizações Globo João Roberto Marinho, e o dedicou aos filhos e netos que acompanharam a cerimônia no Copacabana Palace.
- A Ruth fez a diferença, mas está fazendo mesmo é falta. Sérgio Britto abriu a noite com declaração de paixão ao teatro
O ator Sérgio Britto , vencedor do Faz Diferença (Segundo Caderno/ Teatro) pelos espetáculos "A última gravação de Krapp" e "Ato sem palavras I", abriu a noite de premiação com um discurso apaixonado pelos palcos :
- O prêmio se chama Faz Diferença. Então eu pensei "qual diferença?". A diferença na minha vida é a paixão pelo teatro. Só penso em fazer teatro, só falo sobre teatro e só quero continuar fazendo teatro.

Em seguida, o escritor Cristóvão Tezza , subiu ao palco para receber o Faz Diferença na categoria Prosa & Verso, pelo seu romance "O filho eterno" (Record). Ele dividiu o prêmio com a mulher.
- Estou muito orgulhoso e honrado, até pelo fato singular de um livro fazer diferença - disse Tezza.
O representante do Projeto Tear , Paulo Itacarambi, vice-presidente do Instituto Ethos, agradeceu a todos os participantes das 133 empresas que participam da iniciativa , ao receber o Prêmio na categoria Razão Social. No Projeto Tear, grandes companhias atuam como uma espécie de consultoras de pequenas e médias empresas, para a adoção de práticas de gestão sustentáveis e socialmente responsáveis.
- Somente a cooperação é capaz de criar uma sociedade sustentável - ressaltou em seu discurso no Copacabana Palace.

Quarto homenageado da noite, o jovem escritor Otávio Júnior (Megazine) é o criador do Ler é 10 Favela, que promove a literatura em comunidades do Rio. Ele agradeceu a homenagem contando a sua história com os livros e com o jornal O GLOBO .
- É um prazer imenso receber esse prêmio, porque tenho uma história com o jornal O GLOBO, que lia nas bibliotecas quando participava do projeto Quem Lê Jornal Sabe Mais. Ler faz toda a diferença. Com os livros, fui várias vezes a Pasárgada e já dei a volta ao mundo em 80 dias. Ler é dez.

Ricardo Gomes Ferraz (País) disse ao receber o prêmio que "cada livro é uma carta de alforria"
- O livro é muito caro. Comecei comprando livro por R$ 1 e passei fome muitas vezes.
O dramaturgo João Emanuel Carneiro (Revista da TV) , autor da aclamada "A Favorita", recebeu uma homenagem especial da atriz Cláudia Raia, que interpretou Donatela, e fez um discurso sucinto ao receber o prêmio :
- Boa noite. Estou muito feliz que vocês tenham achado que minha novela fez diferença na televisão, isso era exatamente o que que eu queria. Muito obrigado.

Em seguida o cantor Paulo Szot, vencedor do prêmio Faz Diferença na categoria Segundo Caderno/Música , sétimo premiado, foi representado na cerimônia desta noite pela amiga de duas décadas e assessora Luciana Medeiros. Szot está em Toulouse, na França, apresentando a ópera Carmen, e por isso não pôde participar da festa. Mas apresentou um discurso gravado em vídeo:
- Lamento muito não poder brindar e agradecer pessoalmente ao Rio de Janeiro e aos leitores que me elegeram como destaque do ano por fazer diferença. Foi uma enorme emoção ter recebido o prêmio - disse no vídeo.

A atleta olímpica Maurren Maggi (Esportes), vencedora do Faz Diferença na categoria Esporte, recebeu o prêmio das mãos de Antonio Nascimento e Nelson Vasconcelos. Ao lado da atleta, estava sua filha, Sophia, que levava a medalha de ouro conquistada pela mãe nos Jogos Olímpicos de Pequim.
- Agradeço às pessoas que me apoiaram, foi difícil o meu retorno ao atletismo . Fui atrás de um sonho antigo, desde o início da minha carreira sonhava com a medalha. A força maior foi a Sophia, mas agradeço a todos os brasileiros que ficaram ao meu lado.
A vencedora na categoria Rio , Márcia de Oliveira Jacinto, foi aplaudida de pé ao dizer em seu discurso que o Estado do Rio criminaliza a pobreza . Márcia investigou por conta própria e conseguiu provar que policiais militares mataram seu filho, em 2002.

- Esse troféu é nosso, dos pais que perderam seus filhos para o Estado do Rio - disse ela, que chegou a estudar direito para provar a inocência de Hanry Silva Gomes de Siqueira, executado aos 16 anos.
A décima foi a jornalista Simone Rocha, diretora executiva dos Médicos Sem Fronteira do Brasil , vencedora da categoria Revista O GLOBO. Simone disse que o prêmio é um reconhecimento da tentativa de engajar brasileiros no projeto internacional dos MSF .
Premiado na categoria Mundo Alex Pereira, um dos primos do brasileiro Jean Charles - assassinado no metrô de Londres em 2005 - chegou ao Hotel Copacabana Palace usando uma camiseta por baixo do blazer com o logotipo do metrô londrino exibindo os dizeres: 'Justice 4 Jean' (justiça para Jean, em inglês). Muito emocionado, com lágrimas nos olhos, Alex explicou um pouco como é a vida dos imigrantes brasileiros na Europa.

- Hoje eu ouvi uma história de um estranho no ninho. O imigrante é exatamente isso. E muita gente deixa de gritar quando sente dor pelo fato de ser estranho no ninho. Mas não foi o nosso caso.
Adailton Medeiros, o criador do Ponto Cine , uma sala de projeção em Guadalupe, no Rio, foi o vencedor da categoria Segundo Caderno/Cinema. Ele dedicou seu prêmio ao subúrbio.
- Nosso trabalho já vem de muitos anos, a gente sempre reclamou porque sendo subúrbio a gente não fazia parte da vida cultural da cidade. Hoje a gente faz parte com o Prêmio Faz Diferença. Divido esse prêmio com o subúrbio e com minha equipe. O que eu posso desejar a todos é muito arroz, feijão e cinema porque cinema alimenta a alma do país.

O estilista Ronaldo Fraga , vencedor na categoria Ela/Moda, fez um pequeno desfile de oito modelos vestindo roupas criadas por artesãos orientados por ele antes de receber o prêmio . Ele se destacou não só pelo seu trabalho na moda, mas pelo seu projeto social "Talentos do Brasil", que beneficiou 400 pessoas em diversos pontos do Brasil.
- Amiguinhos, eu sou apenas a ponta desse iceberg amazônico de pessoas que trabalham e apoiam projetos como esse.
Em seguida, recebeu o prêmio a pesquisadora Lygia da Veiga Pereira (Ciência) , uma das pioneiras no estudo de células-tronco no país.
O engenheiro Paulo Veras (Economia), presidente do Instituto Empreender Endeavor , reconhecido por seu trabalho de empreendedorismo, disse que época de crise não é hora de engavetar projetos. O empreendedorismo para ele é uma espécie de "motor de avanço da sociedade".
Além dos premiados, outras personalidades de diversas áreas participam da cerimônia no Copacabana Palace. Para o presidente da Fecomércio, Orlando Diniz , a maior importância do prêmio é reforçar a auto-estima e estimular as pessoas a vencerem os desafios.


link do postPor anjoseguerreiros, às 07:25  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Março 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





arquivos
blogs SAPO