notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
14.3.09

...a escola perde a graça. Se escapulir da sala de aula já é uma tentação para algumas crianças com visão perfeita, que dirá para aquelas que não enxergam com nitidez. A saúde dos olhos é o primeiro passo para um boletim nota 10

Giovanni Zanarella Ferreira,7 anos, está animado com a chegada de seus óculos novos, de armação marrom. Antes da estreia no mundo de lentes e hastes, em julho de 2007, não havia acordo que o mantivesse sentado na carteira da escola. “Eu ia brincar fora da sala o tempo todo”, conta esse pequeno paulista de Amparo, no interior do estado. Além de torná-lo, digamos, famoso no colégio, a inquietação despertou uma suspeita: a de que ele fosse uma criança hiperativa. “Nós o levamos a vários médicos, inclusive ao neurologista”, lembra a mãe, a funcionária pública Heloisa. E o mistério só foi desvendado em uma consulta de rotina no oftalmologista. O problema? Quatro graus de astigmatismo. Isso significava que os livros, os colegas e a professora não passavam de um grande borrão. Daí tanto desinteresse. Casos como o de Giovanni não são raros. “Estima-se que de 10 a 15% das crianças em idade escolar apresentam problemas oculares que podem influenciar o desempenho acadêmico”, ressalta Mitchell Scheiman, especialista em optometria, da Faculdade de Optometria da Pensilvânia, nos Estados Unidos — essa área da saúde também estuda o desenvolvimento visual. Muitas vezes, os próprios professores notam que algo não vai bem e sugerem uma visita ao médico. “Eles são ótimos para fazer essa triagem, porque conhecem bem as crianças e acompanham o seu desenvolvimento”, diz a oftalmologista Maria Elizabeth Mota, de Itu, no interior de São Paulo. Um olhar cuidadoso sobre o comportamento da garotada pode denunciar até mesmo distúrbios que se escondem por trás de uma visão supostamente saudável. “Um míope costuma se aproximar muito da televisão, reclamar de dor de cabeça e evitar brincadeiras ao ar livre”, exemplifica Leôncio Queiroz Neto, oftalmologista do Instituto Penido Burnier, em Campinas, no interior paulista. Já o hipermétrope, que tem dificuldades para enxergar de perto, prefere justamente as atividades em lugares abertos. “É importante observar esses sintomas porque a criança não sabe informar se está enxergando bem ou não”, aconselha Leôncio.
Apesar de, na prática, muitas crianças chegarem à escola sem passar por um exame preventivo, o ideal é conferir se os olhos dos pequenos estão em ordem muito antes de preparar a primeira lancheira. ASociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica recomenda um exame completo a cada seis meses durante os dois primeiros anos de vida. Depois disso, o acompanhamento deve ser anual. Pode parecer exagero, mas o fato é que, quanto antes o estorvo for descoberto, maior a chance de se ver livre dele. “Uma doença ocular não diagnosticada na infância, por sua vez, pode interromper o desenvolvimento da visão”, alerta Célia Nakanami, chefe do Setor de Oftalmopediatria da Universidade Federal de São Paulo. Em alguns casos, esses problemas se passam por inquilinos dissimulados. Instalam-se sorrateiramente e não fazem a menor questão de avisar que pretendem ficar por ali. “Uma criança que enxerga bem com apenas um olho pode ter uma vida absolutamente normal”, afirma Claudia de Paula Faria, oftalmologista do Hospital de Olhos de São Paulo. Como as dificuldades às vezes não saltam aos olhos, aí está mais um motivo para manter as visitas ao médico em dia. É o único jeito de garantir vista longa aos pequenos e, claro, dar condições para que mostrem todo o seu talento em sala de aula. Giovanni, que cursa a 2a série este ano, deixou as escapulidas da classe para trás. Ainda assim, não pensa duas vezes antes de responder qual é a sua disciplina preferida: “Educação física”. Uma questão de gosto — e não mais de saúde.
tags:
link do postPor anjoseguerreiros, às 15:55 

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Março 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





arquivos
subscrever feeds
blogs SAPO