notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
2.4.09
Delegado mostra a CPU apreendida
Estudante de Direito é preso ao extorquir advogado de defesa do médico
O averiguado afirmava possuir imagens e fotos pornográficas que envolviam o médico e as criançasPolícia
Por Marcelo Ono e Augusto Pires

O aluno de Direito de Catanduva, F. N. D., 33 anos, foi preso em flagrante por extorquir o advogado de defesa do médico Wagner Rodrigo Brida Gonçalves que está sendo averiguado no caso de pedofilia.
De acordo com o delegado Acáccio de Oliveira Santos Neto, a Delegacia Seccional foi informada na tarde de terça-feira, dia 31, pelo advogado Pascoal Belotti, que estaria recebendo ligações telefônicas de uma pessoa não identificada.
Durante o contato o suspeito afirmava possuir imagens relacionadas à pedofilia que envolviam o médico Wagner Gonçalves e seu filho Wagner Rodrigo Brida Gonçalves.“As ligações aconteceram durante a terça-feira e deram continuidade na quarta-feira. O suspeito solicitava benefício pecuniário em troca do suposto DVD com imagens envolvendo crianças e o médico”, explicou o delegado.
A Seccional com auxílio do Centro de Inteligência do Departamento de Polícia Judiciária do Interior (Deinter 5) e da Polícia Civil de Catanduva montaram uma operação e conseguiram localizar o averiguado enquanto extorquia o advogado pelo telefone.
O aluno de Direito foi surpreendido em um telefone público na Rua 13 de maio, por volta das 14h30. Com ele foram encontrados alguns papéis com menção aos nomes dos Senadores envolvidos na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da pedofilia, com algumas frases usadas nos dias das oitivas.“As frases eram usadas para surtir efeito na extorsão. O rapaz estava ameaçando o advogado e queria trocar o material por dinheiro”, disse Neto.
Em seguida, os policiais civis deslocaram-se até a residência do estudante e apreenderam DVD e fotografias com imagens pornográficas, aparelho celular e uma CPU.
Diante das evidências e contradições do acusado, ele acabou por confessar o delito.“As fotos e as imagens passarão por perícia para verificar se as crianças que aparecem são as vítimas de Catanduva. O acusado afirmou em seu depoimento que as pessoas que aparecem no material não têm nada haver com as crianças da cidade”.
O averiguado foi recolhido à Cadeia Pública de Catanduva, e responderá por crimes dispostos no artigo 241 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e por crime de extorsão.

Fonte: Notícias da Manhã
link do postPor anjoseguerreiros, às 18:43  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Abril 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9





arquivos
blogs SAPO