notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
18.5.09
Uma proposta feita pelo auditor tributário Paulo Ernani Bergamo dos Santos, que reside em Mogi das Cruzes, poderá ser uma importante ferramenta para prevenir e combater a violência contra a criança e o adolescente, praticada dentro de casa, em larga escala, e que tem chamado a atenção principalmente pela exposição de casos envolvendo menores, como o assassinato da pequena Isabela Nardoni, ocorrido ano passado, em Guarulhos. A ideia é possibilitar, por meio da informatização dos sistemas de dados das redes hospitalar e ambulatorial, o cruzamento dos registros sobre os atendimentos feitos a crianças para se detectar indícios de abuso infantil.
Na prática, a integração dessas informações realizadas em unidades médicas, quer sejam hospitais, clínicas ou unidades básicas de Saúde, seria uma importante forma de combate à violência, já que reuniria um amplo histórico da assistência dada a todas as crianças e, com isso, tornaria possível descobrir, por exemplo, se o mesmo menor já teria sido atendido por causa semelhante algum tempo atrás. No estudo feito por Santos para chegar à proposta, ele constatou que mães e/ou adultos responsáveis pelas vítimas, ao buscar a assistência, trocam frequentemente de unidades médicas, justamente para esconder a agressão física praticada contra a criança, por vezes relatada ao médico como sendo uma simples queda em casa ou de dentro do berço.
A sugestão do advogado formado em Mogi das Cruzes será apresentada amanhã no seminário Violência contra crianças – a sociedade pode acabar com isso, que acontecerá na Câmara Municipal de São Paulo, às 9 horas, não à toa, no Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.
Paulo Santos apresentará a proposta durante o evento que terá a participação de um outro importante estudioso do tema: o médico Wilmes Roberto Gonçalves Teixeira, especialista na Síndrome do Bebê Espancado. De acordo com Wilmes Teixeira, os números são alarmantes. No Brasil, estima-se que a quantidade de crianças de até quatro anos espancadas anualmente chega a 40 mil, dentro de um universo de 400 a um milhão de menores nessa faixa etária.
A divulgação desses estudos e dos casos de violência envolvendo crianças e adolescentes demonstram a importância do modelo proposto por Paulo Santos. "O cruzamento desses dados é extremamente relevante não apenas para termos informações mais precisas sobre a incidência dessas ocorrências mas, principalmente, para impedirmos que essas crianças venham a óbito, tendo em vista que a criança não é agredida uma única vez pelos pais ou responsáveis, mas repetidamente. Se atuarmos na detecção e prevenção desses casos durante o atendimento hospitalar, estaremos evitando que esta criança, hoje machucada, não esteja morta amanhã em razão da falta de ação do Estado e da sociedade ", defende ele.
Santos convidou os prefeitos da Região, inclusive o de Mogi das Cruzes, Marco Aurélio Bertiaiolli, para a apresentação da proposta. "A implantação do sistema em uma cidade como Mogi das Cruzes seria um importante avanço na luta pela preservação da vida e da saúde das crianças", observa o autor do projeto.

POR ELIANE JOSÉ para O Diário On Line
link do postPor anjoseguerreiros, às 14:48  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Maio 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9






arquivos
blogs SAPO