notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
17.4.09
SÃO PAULO - A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou o pedido que tentava revogar a prisão preventiva de Anna Carolina Jatobá, acusada pela morte de enteada Isabella Nardoni, 5 anos. Ela o pai da menina, Alexandre Nardoni, estão presos pelo crime e irão a júri popular.
A defesa de Anna Carolina apresentou habeas-corpus ao STJ em que alega a tese de falta de justa causa, pois, segundo o laudo do assistente técnico da defesa, não houve esganadura da vítima pela acusada. A promotoria alega que a madrasta tentou asfixiar a menina antes da morte.
Dessa forma, entende a defesa, a denúncia feita pelo Ministério Público contra Anna Carolina não corresponde à verdade dos fatos, já que a morte de Isabella teria sido causada pela queda da janela, ato do qual Anna Carolina não é acusada. A defesa pede, com isso, o trancamento da ação penal.
Em fevereiro deste ano, o relator do caso, ministro Napoleão Nunes Maia Filho, negou a liminar. Agora, na análise do mérito, todos os ministros da Quinta Turma acompanharam o relator ao não aceitarem o pedido.
Isabella Nardoni, 5 anos, foi encontrada ferida no dia 29 de março de 2008 no jardim do prédio onde moravam o pai Alexandre Nardoni e a madrasta Anna Carolina Jatobá, na zona norte de São Paulo. Segundo os Bombeiros, a menina chegou a ser socorrida e levada ao Pronto-Socorro da Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos e morreu por volta da 0h.
O inquérito policial apontou que ela foi agredida, asfixiada e jogada do sexto andar do edifício. No dia 18 de abril, Alexandre e Anna Carolina foram indiciados por homicídio doloso, triplamente qualificado. No dia 6 de maio, o promotor Francisco Cembranelli denunciou e pediu a prisão preventiva do casal, aceita pela Justiça.
Alexandre está preso na Penitenciária Dr. José Augusto Salgado (P-2), em Tremembé (SP), e Anna Carolina, na Penitenciária Feminina Santa Maria Eufrásia Pelletier, também em Tremembé. No último dia 24, a Justiça de São Paulo negou recurso do casal e determinou que os dois devem ir a júri popular. A defesa afirmou que vai recorrer da decisão.


link do postPor anjoseguerreiros, às 17:49  comentar

De Maria Célia a 18 de Abril de 2009 às 18:13
Esperamos que justiça seja feita da mesma maneira para os dois, muitos anos na prisão.

Agradecemos sua visita
Maria Célia e Carmen

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Abril 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9





arquivos
blogs SAPO