notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
18.5.09
O Estado do Ceará tem sido pioneiro na implementação de ferramentas de intervenção cidadã que respondem as demandas das políticas públicas, sociais, de saúde e de educação.
Na área da violência interpessoal, essa posição se confirma, pois o Ceará foi o primeiro estado a construir o Plano Estadual de Enfrentamento a Violência Sexual de Crianças e Adolescentes, o segundo estado que escreveu o Código de Ética do Turista, possui o protocolo de atenção às vitimas de violência, conta com pesquisas sobre abuso e exploração sexual, realizou CPI que identificou rotas e responsáveis pela exploração de crianças e adolescentes.
Mas, apesar dessa posição, não tem conseguido impedir que crianças e adolescentes tenham seus direitos violados. E perguntar carece: Por que o Ceará ainda não ganhou ritmo no combate a violência sexual infanto-juvenil? Essa inquietação é recorrente no Fórum Cearense de Enfrentamento a Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, instância de mobilização, articulação e controle social que prima pelos Direitos desse grupo sócioetário, e bem sabe que a garantia de direitos requer: planejamento, orçamento, competência de gestão, ações continua, registros do atendimento para formação do banco de dados, notificação, monitoramento e avaliação dos casos, bem como, oferta de condições para a funcionalidade dos Conselhos Tutelares, pois, apenas as ações conjuntas, articuladas da sociedade civil e o desejo político do governo, podem de fato colocar crianças e adolescente na real condição de sujeito de direito e transformar um cenário que promove violência em um cenário que garanta direitos, que gere emprego e renda, que inclua família e comunidade, que criem redes sociais de apoios e serviços com profissionais competentes e habilitados para acolher a vítima, a família e o agressor.

GILVANI PEREIRA - Membro do Fórum Cearense de Enfrentamento da Violência Sexual contra Criança e adolescentes



CE é sexto no ranking nacional em denúncias de violência sexual contra crianças e adolescentes

No Ceará, Estado que garante lutar contra o turismo sexual e é historicamente marcado pelo machismo, as denúncias de crianças e adolescentes abusados sexualmente entre maio de 2003 e 2008 chegaram a 4,7 mil, uma média de 57,42 para cada grupo de 100 mil habitantes. Esse número deixa o Ceará em sexto lugar no ranking nacional de denúncias, feitas pelo Disque 100.
O Nordeste é a primeira região do Brasil em denúncias, seguida por Sudeste, Sul, Norte e Centro-Oeste. Os dados são da Secretaria Especial de Direitos Humanos, da Presidência da República. Em todo o País, de 2003 a 2008, o Disque Denúncia realizou mais de dois milhões de atendimentos, tendo recebido e encaminhado 84.766 denúncias.
O Fórum Cearense de Enfrentamento à Violência Sexual e o Fórum dos Direitos da Criança e do Adolescente têm trabalhado em parceria para a construção do Plano Estadual de Convivência Familiar e Comunitária, cujo eixo é o combate à violência sexual e o atendimento adequado. Além disso, frisa Márcia, o Fórum está acompanhando de perto as ações dos Creas.
Segundo a coordenadora do Fórum, é importante que as vítimas e suas famílias recebam o atendimento para que os jovens violentados possam continuar a se desenvolver de forma tranqüila, com suporte e apoio da família, e não venham a sofrer abusos novamente.
Dados
4,7 mil denúncias de violência sexual foram feitas no Ceará entre maio de 2003 e 20082 mi atendimentos foram realizados no mesmo período em todo o Brasil .


link do postPor anjoseguerreiros, às 21:50  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Maio 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9






arquivos
blogs SAPO