notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
25.3.09
Garota de 13 anos teria sido violentada por cinco rapazes, entre eles, um menor

Polícia de Ocauçu(interior de São Paulo) investiga o estupro de uma adolescente de 13 anos. Garota teria sido molestada por cinco rapazes, entre eles, um menor. Cenas foram gravadas em vídeo por um aparelho celular e vinham sendo divulgadas na cidade. Os acusados não tiveram os nomes divulgados. As imagens foram entregues à Delegacia de Ocauçu, que abriu inquérito e aguarda apenas os laudos médicos para concluir as investigações. Laudo também apontará se a garota tem ou não problemas mentais, conforme relata a família.
De acordo com familiares, a garota conhecia quatro, dos cinco envolvidos. Ela teria sido atraída por um deles à casa do menor, que a levou dizendo que a avó de um deles estava chamando a garota.
Segundo apurou o Diário de Marília, a garota foi levada ao banheiro da casa do menor e obrigada a manter relações sexuais com alguns dos rapazes. Cenas mostram que a garota foi obrigada a manter sexo oral e anal.
Os vídeos – seriam dois – têm entre um e dois minutos. Nas imagens, três rapazes molestam a garota, entre eles o menor, que tem 17 anos. Os outros dois se encarregaram de observar e filmar as cenas.
A Polícia de Ocauçu solicitou prisão preventiva dos indivíduos. Eles já seriam conhecidos na cidade por atos de furto e tráfico de entorpecentes. Apenas o menor está detido e, se condenado, pode pegar até três anos de reclusão.
A Justiça, entretanto, não aceitou pedido de prisão temporária dos maiores. Segundo promotoria, juiz entendeu que não é necessária prisão preventiva para o prosseguimento das investigações.
O Inquérito policial deve ser concluído em até dez dias. Após este prazo, a Vara da Infância e Juventude tem até 45 dias para julgar o menor participante da ação.
No caso dos outros envolvidos, prazo para julgamento é maior. Eles são acusados de estupro, atentado violento ao pudor e difamação. As penas, se somadas, ultrapassam 12 anos.

A garota teria sido molestada no dia 28 de fevereiro
Os laudos médicos para conclusão das investigações sobre possível caso de estupro da menor devem ser entregues à Justiça ainda nesta semana.
O delegado titular da Delegacia de Ocauçu, responsável pelo caso, Bolívar dos Santos Júnior, disse que após aberto o inquérito, pediu pessoalmente ao seccional de Marília que intercedesse junto ao Instituto de Criminalística (IC) e Instituto Médico Legal (IML) para agilidade no processo.
Além de comprovar se houve ou não o estupro, a perícia pretende ainda identificar se a menina possui problemas mentais, conforme relata a família.
O caso ocorreu no dia 28 de fevereiro, porém só teve repercussão pública neste mês, quando a polícia teve acesso às imagens.

DEFESA
Um dos advogados de defesa dos acusados, Eliseu Albino Pereira Filho, disse que entrará com pedido de relaxamento de prisão do menor. Segundo ele, a prisão é ilegal, dada a fragilidade das provas. “Vamos pedir que ele seja colocado em liberdade. A apreensão do garoto é ilegal. Somente as imagens não comprovam que o ato foi forçado”, disse.
No caso dos acusados maiores de idade, Eliseu informou que também haverá pedido de relaxamento de prisão, caso a temporária seja decretada.
”O juiz sabiamente não aceitou o pedido de prisão. Somente as filmagens não comprovam nada. Quem as vê pode notar que o ato não foi forçado. As imagens não demonstram que a menina não estaria à vontade”, declarou o advogado.
Quanto à vítima, não há advogado de defesa. Segundo o Promotor da Infância e Juventude, ela é representada por ele na Vara da Infância e Juventude e por outro promotor criminal na Justiça Criminal. “Por tratar-se de uma família que não tem condições financeiras, a menor será representada pela promotoria”, explicou Jurandir Affonso.
Ele diz que caso o laudo aponte problemas mentais, o caso fica moralmente mais grave. Se reprovada a hipótese, a situação continua grave, tendo em vista a idade da menina.
Família está em estado de choque
A família da adolescente também ficou sabendo do crime por intermédio da Polícia, que obteve as imagens. O pai da garota, o aposentado Celso Marcelino, conta que ficou estarrecido com a cena.
“Eu não sabia de nada e ela não tinha contado, porque foi ameaçada. Quando vi o vídeo, senti um aperto no peito. Se você assistir a fita, você endoida. Eu endoidei lá dentro (da delegacia)”, diz.
Irritado e revoltado com a situação, o aposentado relata que não irá perdoar ou sossegar enquanto não colocar todos os rapazes atrás das grades. “O que eles fizeram, a gente não pode aceitar. Foi um crime bárbaro. Não criei a minha filha para isso”.
A garota, de 13 anos, é filha de criação do casal, que teve outros sete filhos. O pai comenta que a garota é tranquila, e praticamente, não sai de casa, apenas vai à escola.
“E nem isso agora ela faz sozinha. Ela tem medo, e a gente também tem”.

Fonte: Diário de Marília
tags:
link do postPor anjoseguerreiros, às 09:04  comentar

De joelma a 3 de Abril de 2009 às 17:06
pergunto o advogado de defesa se fosse tua filha o gue faria acho k deve ficar na cadeia bando de corno fagabunadas tem tanta rapariga neste mundo vai com uma criança

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Março 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





arquivos
blogs SAPO