notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
9.2.09
ONDE VIVEM NO BRASIL

Em 11 estados: Alagoas,Bahia,Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe.

NÚMERO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES: 13 milhões.

INDICAÇÕES SOCIAIS: Os mais comprometidos do Brasil: a taxa de mortalidade infantil é maior do que a média nacional em 61% dos municípios.

42% não têm acesso à água encanada, de poço ou de nascente.

200 mil crianças entre 7 e 14 anos estão fora da escola e quase 1 milhão e analfabeta, uma em cada seis crianças de 10 a 15 anos trabalha.

COMO FUNCIONA O PROJETO SELO UNICEF MUNICÍPIO APROVADO:

O selo UNICEF mobiliza os municípios do Semi-árido brasileiro para que eles trabalhem para melhorar as condições de vida de suas crianças e adolescentes.

O UNICEF monitora e apóia os municípios em todo o processo.

Ao final de dois anos, aqueles que atingiram bons resultados nas áreas de saúde, educação e proteção recebem o Selo UNICEF Município Aprovado, um reconhecimento internacional pelos avanços alcançados.


NO SEMI-ÁRIDO BRASILEIRO 75% DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES VIVEM EM SITUAÇÃO DE POBREZA


Das 85 cidades do Semi-árido mineiro, 71 aceitaram em 2007 o desafio de melhorar seus indicadores nas áreas da infância e adolescência. Comemoram a vitória: Águas Vermelhas, Almenara, Araçuaí, Catuti, Cônego Marinho, Espinosa, Itacarambi, Mamonas, Montalvânia, Ninheira, Nova Porteirinha, Pai Pedro, Patis, Ponto dos Volantes, Rio Pardo de Minas, Salinas e Taiobeiras. Em todo o Semi-árido brasileiro, de um total de 1.130 participantes, 259 municípios foram certificados, o que representa 22,9% dos inscritos. Em Minas Gerais, esta edição certificou 23,9% dos 71 municípios que aderiram à proposta.


“No início, a gente achava o sonho impossível para um município pobre do Vale, mas a gente viu que correr atrás do Selo era uma forma de colocar a administração para correr atrás dos resultados”, destaca a prefeita de Águas Vermelhas, Rosa Nízia Spósito Brito. Para a articuladora de Ninheira, Érika Martins Brito, um dos maiores avanços foi o envolvimento dos jovens: “os adolescentes começaram a falar o que achavam, a participar da política”. Fato confirmado pela adolescente Aline Pereira das Virgens, de Águas Vermelhas: “alguns programas incentivados pelo Selo foram mais do que um espaço de lazer. Conseguimos colocar a nossa opinião e isso abriu novos horizontes para os nossos jovens”.
VAMOS TODOS PARTICIPAR!!!!!


fonte:unicef
link do postPor anjoseguerreiros, às 08:08  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Fevereiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9




arquivos
blogs SAPO