notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
7.1.09
RIO - Aumentar a quantidade de atividade física na esperança de eliminar aqueles quilinhos a mais pode não ser a melhor estratégia para emagrecer. É o que afirmam pesquisadores da Universidade Loyola, nos Estados Unidos, que acompanharam o dia-a-dia de quase 400 homens e mulheres nos Estados Unidos.
Para os pesquisadores antes do início do levantamento, as pessoas mais ativas fisicamente seriam também as mais magras. Porém, o que encontraram durante o estudo foi diferente do esperado: a atividade física parece não ser o fator determinante no processo de emagrecimento.
- Concluímos que uma vida sedentária pode não ser a causa principal de uma 'epidemia de obesidade' em certos países como os Estados Unidos - disse a nutricionista Amy Luke, uma das coordenadoras da pesquisa e professora do Departamento de Medicina Preventiva e Epidemiologia da Universidade Loyola. O estudo completo está na publicação Obesity e foi noticiado pelo site Science Daily.
Para quem quer emagrecer, os médicos costumam recomendar cerca de 150 minutos de atividade física em ritmo moderado ou 75 minutos de exercício vigoroso semanalmente, além de musculação duas vezes por semana para ajudar na manutenção do peso perdido.
Embora a atividade física traga uma série de benefícios, entre eles o fortalecimento dos músculos e dos ossos, uma melhora do humor e da saúde mental, a diminuição da pressão e do colesterol, e a redução do risco de uma série de doenças, a perda de peso, dizem os pesquisadores, não deve ser considerada um dos principais benefícios dos exercícios.
Os pesquisadores da universidade afirmam que apesar da atividade física queimar calorias, indivíduos que pegam pesado na malhação acabam sentindo mais fome e acabam compensando a perda calórica com a alimentação.
- Adoraríamos dizer que apenas fazer mais exercícios é a chave para a perda de peso, mas esse não parece ser o caso - afirma o médico Richard Cooper, coautor do estudo e coordenador do Centro de Medicina Preventiva e Epidemiologia de Loyola. Dieta é principal aposta dos médicos
O controle da alimentação seria uma explicação mais provável de por que algumas pessoas conseguem manter o peso após uma dieta enquanto outros voltam a engordar. Os pesquisadores indicam uma dieta rica em fibras, carboidratos integrais, frutas e legumes como a ideal para quem quer emagrecer.
Os resultados encontrados pelos pesquisadores americanos é similar ao de um estudo feito em 2007 na Jamaica, que mostrou que a atividade física sozinha não é capaz de manter uma pessoa magra.
- Aos poucos, estamos conseguindo reunir mais evidências que mostram que o controle da dieta é mais importante que a quantidade de exercício no processo de emagrecimento, assim como na manutenção do novo peso. É muito difícil achar alguém que tenha emagrecido apenas aumentando a quantidade de exercício sem mexer na dieta - completa Luke.

tags:
link do postPor anjoseguerreiros, às 18:32 

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Janeiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9





arquivos
subscrever feeds
blogs SAPO