notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
30.3.09
SÃO PAULO - Duas coroas de flores enviadas ao túmulo de Isabella Nardoni pelos avós paternos e pelo casal Nardoni foram encontradas no lixo, na manhã de ontem, no Cemitério Parque dos Pinheiros, na Zona Norte de São Paulo. As coroas foram depositadas no sábado, no jazigo da menina - o 21-185, quadra 2 -, um dia antes de completar um ano de sua morte. Nas faixas foram escritas as mensagens "Amor eterno: papai, Pietro, Cauã e tia Carol" e "Saudades: vovô, vovó Nardoni, madrinha e família".
Ana Carolina Oliveira, mãe da menina, disse que não pediu para que as coroas fossem retiradas. Neste domingo, ela participou de uma missa na Igreja Nossa Senhora dos Prazerez, que lembrou um ano da morte de Isabella.
Na semana passada, o Tribunal de Justiça de São Paulo confirmou que Alexandre Nardoni, pai da menina, e Anna Carolina Jatobá, a madrasta, irão a júri popular acusados da morte.
- A gente não tem nada a ver com isso - afirmou.
Ana Carolina contou que esteve várias vezes no cemitério, durante a semana passada, para visitar o túmulo de sua filha e que também deixou flores.
- Mas hoje, especificamente no dia 29, não vou até lá, pois acho que pode ser um dia tumultuado - falou, ao fim da missa que marcou um ano da morte da filha.
Por medo de ser hostilizado, o advogado Antonio Nardoni, pai de Alexandre, disse que evita ir ao cemitério. Na manhã deste domingo, cerca de 15 pessoas passaram pelo local para prestar homenagens. As coroas enviadas pelo avô paterno estavam dentro de um saco de lixo preto, a cerca de 50 metros do túmulo. No jazigo da menina, foram depositados flores, faixas e cartazes.
A auxiliar de cozinha Sueli Maria da Conceição, de 31 anos, saiu de São Bernardo do Campo, no ABC, na manhã de ontem, para prestar sua homenagem. Ela levou ao cemitério flores e uma camiseta com a foto da menina.
- É como se fosse minha filha. O sofrimento também é nosso - diz.
- Eu bato palmas para a atitude de quem tirou as coroas de flores. Se fosse comigo, teria jogado as coroas num buraco - afirmou.
A administração do cemitério não soube explicar quem pediu a retirada das coroas. Mas disse que não é comum a homenagem sumir um dia após ser depositada, a não ser que haja algum contratempo. Antônio Nardoni, avô de Isabella, não quis comentar o ocorrido.
Segundo o cemitério, o jazigo de Isabella Nardoni é o mais visitado do local. Mas não souberam estimar quantas pessoas estiveram no cemitério durante esta semana, especificamente.


link do postPor anjoseguerreiros, às 09:10  comentar

De Anónimo a 30 de Março de 2009 às 12:29
Pois é...
Pobres avós que não conseguiram entender ainda que seu filho não sente essa dor.
Pior ainda é terem enviado flores em nome dos dois que cometeram o crime.
Seria mais digno terem os avós permanecido eles próprios com a dor que sentem, pois não tem culpa por terem tido um filho psicopata.
Para Alexandre Nardoni tanto faz se a filha morreu ou não. Na cabeça dele, a criança estava atrapalhando seu relacionamento com a atual esposa, e era necessário que ela fosse retirada do caminho.
Matou-a sem dó nem piedade, e jamais poderá exigir de um psicopata que ele venha a ter algum tipo de arrependimento, pq isso não existe dentro dele.Ele veio ao mundo com uma falha genética, falha de caráter, ausência total de sentimentos.
No livro Mentes Perigosas, a fábula do Sapo e o Escorpião, explica muito bem isso.
Faz parte de sua essência.

De Maria Célia a 30 de Março de 2009 às 12:55
Caro anônimo, acredito que a avó D.Cida esteja sentindo a morte da neta, mas o avô é claro que não.
O único desejo dele é tirar o filho da prisão.
Se não se manifestaram antes, porque agora fazer essa cena teatral com flores?
que continuem quietinhos ao invés de homenagens falsas.

Obrigada por sua visita

Maria Célia e Carmen

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Março 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





arquivos
blogs SAPO