notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
27.1.09

Segundo ele, filho levou choque ao encostar na grade de brinquedo. Parque foi interditado nesta segunda-feira pelo Corpo de Bombeiros.

Eu perdi um pedacinho do meu coração. Agora eu quero justiça", disse Cléber de Oliveira Tavares, 31 anos, durante o velório do seu filho na tarde desta segunda (26). O menino Alexandre, de 10 anos, morreu em um parque em Padre Miguel, na Zona Oeste, no último domingo (25). A suspeita é de que ele tenha sido eletrocutado. O corpo está sendo velado em uma igreja Batista em Realengo, na Zona Oeste do Rio. No velório, parentes e amigos da vítima demonstravam indignação com a morte do menino. A mãe estava inconsolável. Na ocasião, Cléber contou que foi levar o filho para soltar pipa na praça onde estava instalado o parque.
Ele explicou que não viu o acidente, mas que os amigos do menino, que também soltavam pipa no local, disseram que o menino tomou um choque ao encostar na grade de um dos brinquedos. "Eu não estava perto. O meu sobrinho é que chamou, falando 'Tio, o Alexandre tá caído no chão durinho'", disse, e completou. "Aquilo ali não podia ficar ligado. Como aconteceu com ele, poderia acontecer com qualquer criança". Ele descartou a possibilidade da linha da pipa ter encostado no brinquedo. "Ele já tinha 'voado' com a pipa. Ele tava enrolando a linha. Acho que foi nessa hora que ele encostou na grade", explicou. O pai do menino contou que ficou indignado quando viu o parque funcionando na noite de domingo (25), após o acidente. "O mesmo brinquedo que causou a morte do meu filho estava funcionando. Então eu fui na 34a DP (Bangu), falei com a delegada, e ela mandou interditar o local", disse.

Parque interditado
Bombeiros da Diretoria de Diversões Públicas interditaram na manhã desta segunda-feira (26) o parque de diversões em Padre Miguel, na Zona Oeste, onde Alexandre morreu no fim de semana.
Segundo o tenente-coronel Luiz Rodrigues, do quartel de Campinho, o parque foi interditado porque funcionava sem autorização. "O parque funcionava clandestinamente. O proprietário não tinha documentação necessária para instalar o parque na região". Os brinquedos foram desmontados nesta manhã.


fonte:G1
link do postPor anjoseguerreiros, às 11:16  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Janeiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9





arquivos
blogs SAPO