notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
22.4.09
PORTO ALEGRE - Ameaçado de extinção, o gato-maracajá - também conhecido como minijaguatirica - apareceu em plena Avenida Bento Gonçalves, uma das vias mais movimentadas de Porto Alegre, e virou celebridade. Assustado com o assédio da população, o animal foi resgatado pelos bombeiros, mas em breve deverá voltar ao seu hábitat.
A primeira aparição do bicho, segundo a operadora de caixa Susane Oliveira, 36 anos, aconteceu na manhã de segunda-feira, em uma árvore localizada na entrada do Beco 4, junto à avenida.
- Eu vi que ele estava dormindo bem tranquilo, com as patinhas atiradas para baixo. Não fiz alarde, porque pensei que ele iria embora - contou Susane.
Às 10h desta terça, quando olhou pela janela mais uma vez, a moradora constatou que o felino continuava lá, bocejando e se espreguiçando. Incomum, a presença ilustre não tardou a chamar a atenção do resto da vizinhança. Em alguns minutos, o burburinho estava formado.
Com celulares e câmeras digitais em punho, dezenas de moradores se aglomeraram no local. Todos queriam tirar uma foto com a "oncinha", como foi apelidado, para guardar de lembrança. Teve também quem se assustasse.
- É uma onça! É uma onça! - gritava um grupo de crianças.
- Será que come gente? - perguntava um dos meninos, apreensivo.
Chamados por moradores, integrantes do Grupamento de Busca e Salvamento foram ao local. Àquela altura, o gato-maracajá também já estava assustado. Pulando de galho em galho, deu trabalho aos socorristas. Saltou para a ribanceira e se embrenhou no mato.
- Aaaah! Olha o bichoooo! - gritavam os espectadores, correndo e tirando fotos sem parar.
Cercado, o animal acabou finalmente capturado. Quando o soldado Ângelo Bilha apareceu com ele nas mãos, foi alvo de mais cliques e de muita curiosidade. Até então, ninguém sabia ao certo de onde havia surgido.
Para a bióloga da Fundação Zoobotânica, Márcia Jardim, possivelmente o felino vivesse na própria região. O maracajá foi uma espécie comum na América Latina, mas, em função da ocupação humana, está ameaçado.
Fora de perigo, o gato-maracajá foi levado à sede do 1º Batalhão Ambiental, na Capital, onde deve ficar em observação pelo menos até hoje. Depois disso, será encaminhado ao Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que ficará encarregado de devolvê-lo ao seu ambiente natural.


tags:
link do postPor anjoseguerreiros, às 12:00  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Abril 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9





arquivos
blogs SAPO