notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
12.5.09

Objetivo da medida é descobrir a velocidade do carro do político.Detran do Paraná informou que ele estava com habilitação suspensa.


A Diretoria de Trânsito (Diretran) da Urbanização de Curitiba S.A. (Urbs) entregou à polícia, nesta terça-feira (12), as imagens gravadas por radares que ficam próximos ao local onde o carro dirigido pelo deputado Fernando Ribas Carli Filho (PSB) se chocou com outro veículo. No acidente, ocorrido na madrugada de quinta-feira (7) na capital paranaense, dois jovens morreram. O delegado Armando Braga de Moraes, da Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran), havia solicitado as gravações nesta segunda-feira (11). O material deverá servir para apurar a velocidade do carro dirigido pelo deputado. O policial não foi encontrado nesta terça-feira para comentar o caso. A Secretaria Estadual da Segurança Pública informou que ainda não tinha detalhes sobre as imagens recebidas.

Sem habilitação
O deputado já havia ultrapassado a quantidade de pontos da carteira de habilitação por causa de multas por excesso de velocidade e não deveria estar ao volante quando se envolveu no acidente. Ele é o único sobrevivente da colisão com outro veículo onde estavam os jovens Gilmar Rafael Souza Yared e Carlos Murilo de Almeida, que morreram no local.
A relação de multas sofridas pelo político chega a 30 desde 2003, mas 22 delas foram cometidas depois que Carli Filho assumiu o cargo de deputado. As infrações somam 130 pontos. No formulário do Departamento de Trânsito (Detran-PR), a carteira de Carli Filho está em situação irregular. Ele não recorreu de sete infrações e não poderia dirigir desde julho do ano passado.
Em três das multas, ele foi pego pelo radar com 50% acima da velocidade permitida, o que é considerado como infração gravíssima. Cinco delas foram registradas na avenida Monsenhor Ivo Zanlorenzi, mesmo local do acidente de quinta-feira, mas em datas anteriores.
A assessoria do Detran não informou o andamento dos processos envolvendo o deputado. Segundo o órgão, se o motorista não devolver a habilitação, a única chance da irregularidade ser descoberta é por meio de blitze e fiscalizações.
O deputado foi levado para o Hospital Albert Einsten, onde deve passar por uma cirurgia para reconstrução dos ossos do rosto.
O carro onde estavam as vítimas que morreram na colisão ficou completamente destruído, sem teto e sem uma das portas. O veículo do deputado também ficou destruído.
Por meio da assessoria, o também deputado estadual Plauto Miró (DEM), tio de Carli Filho, declarou que a família não irá se pronunciar sobre o assunto e vai aguardar o andamento do inquérito que investiga o caso.
O G1 entrou em contato com o gabinete do deputado em Curitiba (PR), que informou que o assessor de imprensa está em São Paulo com o deputado e "incomunicável" - o celular teria sido roubado. A reportagem deixou recado e aguarda resposta.
A pedido do advogado Elias Mattar Assad, que representa as famílias das vítimas, a Procuradoria Geral de Justiça nomeou o promotor Rodrigo Chemim para acompanhar o inquérito policial. "Várias pessoas que viram o acidente já se prontificaram a prestar depoimento. Não temos dúvidas sobre o excesso de velocidade", disse o advogado.


Portal G1
link do postPor anjoseguerreiros, às 18:12  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Maio 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9






arquivos
blogs SAPO