notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
4.4.09
Menino de 2 anos morre ao cair de prédio em BH e tia diz que abriu janela para fumar

SÃO PAULO -João Pedro de Souza, de 2 anos e 8 meses, morreu ao cair pela janela do apartamento da tia, no terceiro andar de um prédio em Belo Horizonte, na noite desta quinta-feira. A tragédia ocorreu por volta de 23h40m e a queda foi de uma altura de cerca de 20 metros, num vão entre o prédio e o telhado de uma casa vizinha. João Pedro passava um período de 15 dias na casa da tia e voltaria para a casa da avó, com quem morava, neste sábado. A avó mora numa cidade na região de Governador Valadares, no norte do estado. A mãe do garoto reside na Itália.
Verônica de Souza Silva, 23 anos, tia do menino, mora com uma amiga, Camila Florido Neves, de 25 anos. À polícia, Verônica disse que abriu a janela do quarto para fumar com Camila. Em seguida, teriam ido fumar no corredor e esqueceram a janela aberta. Quando retornaram, o menino teria caído.
" O garoto estava só passando férias com elas e seria devolvido à avó amanhã "
A polícia foi chamada pelo porteiro do prédio, depois que Verônica chegou ao térreo e disse que o menino havia caído. A Polícia Militar afirmou que encontrou o apartamento das duas totalmente revirado, incluindo camas e guarda-roupa. A perícia esteve no local durante toda a madrugada, tirando fotos dos móveis e da janela por onde o menino teria caído.
A polícia de Belo Horizonte tenta descobrir agora como as duas jovens não viram a criança acordar. O apartamento onde moram é uma kitinete, de apenas 25 metros quadrados, com cozinha acoplada. Segundo o delegado Renato Nunes Guimarães, que ouviu o depoimento das duas na manhã desta sexta, há uma só janela e uma única porta de acesso externo no apartamento.
Ao delegado, Verônica disse que havia aberto a janela para fumar com a amiga e se esqueceu de fechar. Em seguida, teria ido fumar e conversar na porta do apartamento. Após a queda do sobrinho, ela passou mal e foi atendida num hospital da região. Prestou depoimento sob efeito de sedativos. A criança será enterrada neste sábado.
Para alcançar a janela, o menino teria subido numa cadeira.
- A dúvida é como ela não viu a criança acordar, subir na cadeira e ir até a janela se estava na porta da kitinete. O ambiente é um só - diz o delegado.
A polícia não descarta qualquer hipótese na investigação e depende dos laudos da perícia para tentar recuperar o acontecido. As duas explicaram o fato de o apartamento estar revirado. Segundo o delegado, Verônica e Camila disseram que reviraram guarda-roupa, camas e outros móveis para tentar achar o garoto, que costumava se esconder delas para brincar.
- Ela disse que, ao notar que a criança havia sumido, imaginou que tivesse pulado pela janela, mas não quis olhar. Elas contaram ter ficado desesperadas e, por isso, reviraram tudo - diz o delegado.
Guimarães afirma que não foi identificada nenhuma testemunha até agora. Os vizinhos não relataram ter ouvido briga dentro do apartamento. Uma possibilidade seria de as duas jovens ter saído e deixado a criança sozinha, mas isso ainda não foi investigado. Ainda nesta manhã, os delegados vão se reunir com os peritos, que verificaram o apartamento durante a madrugada, para tentar reunir dados.
Verônica e Camila foram ouvidas como testemunhas. O depoimento das duas acabou por volta de 9h desta sexta.
Segundo o delegado, caso a polícia reúna indícios de que houve negligência as duas podem ser indiciadas por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.
- O garoto estava só passando férias com elas e seria devolvido à avó amanhã. Não apresentava marcas de agressões anteriores. A tia iria levá-lo e isso já estaria combinado - afirmou Guimarães.
O delegado disse que, de acordo com o depoimento de Verônica, no momento em que a janela do quarto foi aberta o menino dormia. Ela disse a Guimarães que não se passou "um minuto" entre elas abrirem a janela para fumar e ir para a porta da kitinete.
- Elas estavam muito abaladas. Mas não temos nenhuma testemunha e nada está descartado - disse ele.
Um perito que esteve no apartamento confirmou que havia uma cadeira no quarto e lembrou que a janela não tinha tela ou grade de proteção.
Fonte: Globo - Bom Dia Brasil
link do postPor anjoseguerreiros, às 11:19 

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Abril 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9





arquivos
subscrever feeds
blogs SAPO