notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
26.1.09
SÃO PAULO - O juiz Iassin Isa, titular da Vara da Infância e da Juventude de Santo Amaro, na Zona Sul da capital, solicitou ao governo do estado que avalie a possibilidade de criação de um internato público, em regime integral, para que crianças e jovens possam estudar, trabalhar e dormir. A ideia do juiz é colocar em um internato o garoto F., de 12 anos, detido pelo menos dez vezes dirigindo carros furtados na cidade.
- Pedi à Secretaria Estadual de Educação a abertura de um grupo de estudo para a criação de um internato público a fim de atender estudantes do Ensino Fundamental - afirma o juiz.
O juiz recebeu o aval dos pais de F. para a internação do garoto em uma escola em período integral, para evitar que ele vá para a Fundação Casa (ex-Febem).
Somente neste domingo, segundo Isa, 22 adolescentes deram entrada na Fundação Casa por tráfico e roubo. Na avaliação do juiz, a passagem do adolescente pela entidade poderia influenciá-lo negativamente.
O juiz pediu uma vaga em uma instituição privada no Paraná, onde pretendia internar F., mas, diante da resposta negativa, recorreu ao Estado e ao Conselho Nacional dos Direitos da Criança e Adolescente (Conanda), a quem solicitou a recomendação de um internato que possa receber o menino.
- Ele já trabalhou. Aos 8 anos, empurrava carrinho e recolhia sucata para vender e limpava carro. Foi depois disso que mudou - afirma Isa.
Segundo o juiz, a mãe culpa a "moda" pelos crimes do filho, dizendo que F. quer ter novas roupas e tênis de marca. Os pais do menino estão desempregados. Isa pediu ao Governo Federal a inclusão da família em programas sociais.
O Diário de S.Paulo procurou neste domingo a Secretaria, mas nem a assessoria de imprensa, nem a titular da pasta, Maria Helena Guimarães de Castro, atenderam aos telefonemas.


link do postPor anjoseguerreiros, às 12:23  comentar

De Anónimo a 26 de Janeiro de 2009 às 15:51
Ate que enfim!!!!
alguem que tenha autoridade suficiente para influenciar no ato de coerencia para dá um basta nesta situação. é ridiculo uma "criança debochar da LEi e nao ser feito nada.
Sem falar que a cada dia so aumenta a deliquencia juvenil no Pais.

De Maria Célia a 6 de Fevereiro de 2009 às 19:23
Esperamos que medidas sérias sejam tomadas para o bem de todos e do próprio menino.
Agradecemos seu comentário.

Maria Célia e Carmen

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Janeiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9





arquivos
blogs SAPO