notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
2.5.09
Às vezes se confunde autoridade com autoritarismo. Quais são as saídas para impor limites sadios. Os perigos e benefícios para seu filho.

Autoridade versus Autoritarismo
Os pais são os primeiros e principais arquitetos na formação da personalidade do filho. E toda vez que eles impõem limites, estão dando forma e base para essa pessoa nova e extraordinária. Mas, como exercer autoridade sem cair no autoritarismo? A autoridade está intimamente ligada à responsabilidade; já o autoritarismo acontece quando o bem e o mal são transmitidos como uma exigência que vem de fora. Por exemplo: é diferente exigir que seu filho faça o dever de casa porque, como mãe, você é responsável pela educação dele (o que implica que ele assuma sua própria responsabilidade como aluno) e exigir que cumpra seus deveres porque senão a professora vai ficar brava e desqualificá-lo.


Seus próprios limites
Quando você tiver dúvidas sobre a autoridade que tem sobre seu filho, pergunte-se sinceramente qual é a raiz do problema. A psicóloga Abigail Rapaport exemplifica com algumas orientações úteis: ?O adulto precisa conhecer seus próprios limites e estabelecer como transmiti-los. Com emoção, com coerência, em forma de reclamação afetiva, ou como uma ameaça de perigo que faz a criança crescer com a idéia de que o mundo é perigoso? Se você for responsável, o limite é transmitido como uma coisa simples e clara?. Portanto, preste mais atenção às suas palavras e atitudes diante de seu filho.

Benefícios e perigos
Os comportamentos e atitudes dos pais são o modelo através do qual os filhos compreendem o que se espera deles. E o melhor é que eles desejem responder a essa expectativa por causa do amor que geramos e transmitimos a eles. O benefício é enorme: poderão construir as bases de uma boa auto-estima e ser criativos, pessoas autônomas, independentes, com normas e regras para poder compartilhar e conviver no mundo que lhes cabe viver. Algumas normas no momento de impor limites:- Reconheça quais são os seus próprios limites.- Demonstre segurança, mas com carinho, converse e explique de acordo com as necessidades.- Mantenha coerência entre pai e mãe.- Não transmita mensagens ambíguas.- Respeite a irritação de seu filho com paciência.- Seja clara e concreta em seus pedidos.- Seja constante na imposição de limites.- Preste atenção: hiperatividade, déficit de atenção na escola ou auto-agressão são alguns sinais de pedido de ajuda em crianças e adolescentes.


link do postPor anjoseguerreiros, às 08:01  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Maio 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9






arquivos
blogs SAPO