notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
20.3.09
A chegada da mulher que agrediu criança de um ano à cadeia de Itupeva causa uma rebelião que só termina com promessa de transferência
Por Alexandre Barbosa
Agência Bom Dia

Uma rebelião se formou na cadeia feminina de Itupeva, ontem, por causa da presença de Valdecina Alves Almeida, 33 anos, indiciada por tentativa de homicídio qualificado. Ela foi presa, anteontem, suspeita de espancar quase até a morte e queimar um bebê de 1 ano e dois meses, filho da jovem baiana L.B., 19, que trabalhava como babá em sua casa.Todas as outras detentas da cadeia, cerca de 70, ficaram revoltadas com a atitude de Valdecina e, como forma de protesto, durante o “banho de sol” queimaram três colchões, bateram barras de aço nas grades e gritaram. As presas gritavam: “Justiça, mata! Entrega ela pra gente", além de ofensas dirigidas diretamente para Valdecina, que ouvia tudo na cela onde estava.
A chegada de Valdecina na cadeia já havia sido em meio a confusões, ameaças por parte das detentas. Ela teve que ser colocada no “reservado”, uma cela especial.“A maioria aqui é mãe e, para elas, os filhos são a única coisa sagrada, por isso quando acontece um caso como esse ,elas querem matar a mulher”, disse um dos carcereiros. Para conter a rebelião, o delegado Glauco Rufino, que assumiu a direção da cadeia recentemente, solicitou o apoio do diretor da cadeia de Jundiaí, Fernando Wanaga, especialista em retenção de rebeliões. As detentas só se acalmaram quando os delegados fizeram a promessa de solicitar a transferência de Valdecina para outro lugar. “Elas não aceitavam a presença dela aqui, nós já pedimos transferência, mas não sei quando será feita e também não posso revelar para onde ela será levada, por uma questão de segurança”, disse Glauco.


O bebê R.B., de 1 ano e dois meses, está internado em estado grave no HU (Hospital Universitário). Ele tem marcas por todo o corpo, inclusive queimaduras provocadas com um isqueiro. O hospital ainda avalia se a criança está com traumatismo craniano e uma das pernas quebradas. Há 15 dias Valdecina começou a agredir o bebê, batendo nele com cabides de roupa de madeira. L. também está ferida no rosto. Segundo ela, Valdecina a trouxe com R. de Serra do Ramalho, interior da Bahia, em janeiro para cuidar de sua filha, M.H.A., de 2 anos. A babá e o filho eram mantidos reféns na casa da garota de programa, na rua Diogo Alvares Corrêa, na Vila Mafalda, sob graves ameaças de morte. "Desde janeiro nós não podemos sair de casa porque ela nos tranca lá dentro, mas somente há duas semanas ela começou a nos agredir. Ela me batia, ameaçava com faca, batia no meu filho, mas eu não podia fazer nada pois ela conhece vários pistoleiros e eu tinha medo de morrer", disse a babá, que estava com o rosto todo machucado.
O abuso só foi deflagrado nesta quarta-feira, depois que Valdecina, com medo do bebê morrer, levou R. até o hospital. Ao ver o estado da criança, coberta pela garota de programa com panos para que as pessoas não vissem as marcas, os médicos acionaram a delegada da DDM (Delegacia de Defesa da Mulher), Fátima Giasseti, relatando o fato e solicitando a presença da polícia.Quando os investigadores chegaram ao HU, para se livrar das acusações, Valdecina chegou a acusar a sua babá, mãe da criança, de ter batido em R. Porém, os investigadores a colocaram na viatura e levaram até sua casa, onde encontraram L.B. toda machucada. A garota de programa foi presa em flagrante.A filha de Valdecina foi encaminhada ao Conselho Tutelar de Jundiaí e deve ser levada a um abrigo.Às 15h50, o HU reforçou que o bebê segue internado na UTI pediátrica em estado grave. Uma equipe de médicos foi deslocada especificamente para acompanhar esse caso.A filha de Valdecina foi encaminhada ao Conselho Tutelar de Jundiaí e deve ser levada a um abrigo.
Fotos: Dago Nogueira/Agência BOM DIA

link do postPor anjoseguerreiros, às 07:31  comentar

De Catarina marinho a 4 de Outubro de 2010 às 23:14
Quando os espancadore irem para o inferno eles irao as sentir as mesmas dores que causarao ao seu prosimo so que sera pela etenidade porque nao vai ficar no coraçao das vitimas mais vai ficar no coraçao de deus e ele fara justiça!

De karoline a 27 de Novembro de 2010 às 21:39
não aguento mais! basta como isso. não pode acontecer, será que não estão vendo o que eu vi? não né! tudo hoje parece normal, matar mãe e pai, matar filhos, chega seus monstros parem vocês estão machucando anjos inocentes, bebês que nem pediram para nascer. o mundo tem que mudar, os governantes tem que se mobilizar contra isso. não deixem que essas coisas passem despercebidas como meras noticias, pois não são.

De mayni a 13 de Janeiro de 2011 às 19:19
tem que matar essa infeliz, ou melhor fazer com ela o mesmo que ela fez com esta criança inocente pra ver se ela vai gostar.

De bruna santos moreira a 22 de Maio de 2011 às 00:49
Deus é claro na bíblia quando diz que aquele que não for puro como uma criança não entraras no reino do céus ...
E quem ama e recebe uma criança ele também amara ...
A cadeia pra ela não é castigo , porém o maior desprezo vira do Senhor ...
É triste saber que mesmo com uma filha de dois anos ela teve capacidade de fazer isso com uma criança com quase a mesma idade ....
Porém é essa a realidade do Brasil em que vivemos !!!

Que Deus tenha misericórdia da alma dela ...

De Anónimo a 12 de Fevereiro de 2012 às 17:04
TEM QUE MATAR UMA VAGABUNDA DESSA

De vera carvalho a 1 de Maio de 2014 às 15:40
quem faz isso a uma criança mais correto a um bebe avia de ser morto ou deixa-la pior que o bebe

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Março 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9





arquivos
blogs SAPO