notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
23.4.09
SÃO PAULO - A Polícia Civil apreendeu dentro do apartamento do advogado e professor de Direito da Universidade São Paulo (USP) Renato Ventura Ribeiro, de 39 anos, uma carta digitada em 'tom depressivo' que falava em 'reparação de erro'. O conteúdo da carta, no entanto, não foi divulgado pelo 16º Distrito Policial (Vila Clementino) de São Paulo, que investiga o caso. Segundo a polícia, Renato matou o filho de 5 anos e se matou em seguida durante o feriado de Tiradentes. Para a polícia, o crime foi premeditado.
A carta foi apreendida junto com a CPU do computador de Renato e da pistola calibre 380 que estava na mão do advogado. Os objetos foram encaminhados para análise do Instituto de Criminalística (IC).
Os pais do advogado estão sendo ouvidos nesta quinta-feira pelo delegado Virgílio Guerreiro Neto, titular do 16º DP. Além dos parentes, o delegado ouvirá vizinhos e amigos para tentar esclarecer as circunstâncias do crime.

Perda da guarda do filho pode ter motivado crime
O delegado titular do 16 DP, Virgílio Guerreiro Neto, acredita que o advogado e professor de Direito da Universidade São Paulo (USP), Renato Ventura Ribeiro, de 39 anos, se matou depois de assassinar o filho, Luis Renato Menina Ventura Ribeiro, de 5 anos, porque perdeu na Justiça, há dez dias, o pedido de guarda do filho. O menino morava com a mãe.
- Eles [os pais da criança] tinham um relacionamento de disputa pelo filho, mas nunca existiu violência, apenas ameaças normais nessa disputa, como querer sumir com a criança - afirmou o delegado.
- Violento ela [a mãe] me disse que ele não era, mas ele tinha ciúmes do filho - completou.
O crime aconteceu no apartamento do advogado, no 12º andar, do bloco C, do Condomínio Jardim das Orquídeas na Vila Clementino, Zona Sul da capital, bairro de classe média alta. Segundo a polícia, Renato teve autorização da mãe do garoto, a advogada Fabiane Húngaro Menina, de 37 anos, para passar o fim de semana com o filho.
Como no domingo era aniversário de Fabiane, o garoto deveria ser devolvido à tarde para participar da festa. Porém, isso não aconteceu. Fabiane telefonou e depois foi até a portaria do prédio tentar contato com o advogado, mas não teve sucesso. Por conta disso, na segunda-feira ela foi até o 16º DP (Vila Clementino) e registrou um boletim por desaparecimento de incapaz.
A criança e o advogado foram encontrados nesta quarta-feira à tarde pela faxineira Márcia Souza, de 36 anos, e pelo zelador do prédio Luis Francisco da Silva, de 50 anos. Os corpos estavam na cama do advogado. Ela sentiu um cheiro saindo do quarto apenas no final da tarde.
- De amanhã achei estranho, ele normalmente não dormia até aquela hora. Aí eu voltei à tarde para poder terminar o serviço, e encontrei os dois - explicou a faxineira Márcia Sousa.
O menino tinha uma perfuração na nuca e Renato um tiro na testa. O advogado segurava uma pistola calibre 380. O zelador disse na delegacia que os dois estavam com a mesma roupa que usavam na sexta-feira.
- Na posição que foi encontrado, tudo leva a crer que foi um homicídio seguido de suicídio - afirmou o delegado.
A família do advogado esteve no prédio para acompanhar o trabalho da perícia, mas não quis falar com a imprensa.
Renato morava sozinho há dez anos em seu apartamento e seu filho era fruto de um namoro de seis meses com Fabiane. Pelos conhecidos, era considerado uma pessoa reservada e muito educada. Era tido como um advogado e professor de destaque. Tinha o título de doutor e era autor de quatro livros sobre direito tributário.


link do postPor anjoseguerreiros, às 14:20 

De Anónimo a 25 de Abril de 2009 às 02:23
na verdade as pessoas deveriam criar vergonha na cara e parar de fazer sexo ,já que nao sabem ainda que sexo gera filhos e filhos precisam de pai e mae,filho nao se importa com pensao alimenticia e muito menos com quem vai ficar a casa.bem axo que o homem nao tem mais jeito mesmo ,eu conheço muita gente que fala de filhos com o termo produçao independente(como se foce um tipo de fabrica de pao de queijo,voce faz 100 ou 1000,tanto faz´sao só pao de queijo e a fabrica é minha e poraí vai
eu me casi porque estava apaixonada e nao demorou muito pra eu ver que fiz a maior besteira da minha vida e isso já fazem 22 anos mas como tenho filho menor eu continuo casada nao sou mulher de dividir meus filhos e muito menos deixa-los conviver com madrasta ou padrasto,vou ficar casada até que eles fiquem adultos.tenho vergonha na cara
obrigada

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Abril 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9





arquivos
subscrever feeds
blogs SAPO