notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
14.2.09
Ele é um dos presos durante operações da Polícia Federal.PF acredita que quadrilhas movimentavam até R$ 1 milhão por mês.

Uma gravação telefônica autorizada pela Justiça na investigação da Polícia Federal mostra um pai, de 30 anos, incentivando o filho, de 13, a fumar maconha. Ele foi um dos 55 presos durante as operações Nocaute e Trilha, deflagradas pela PF, na quarta-feira (11), no Rio e em outros oito estados, além do Distrito Federal.

Semanas antes da prisão, o pai ouve o filho dizer que esteve na casa da mãe para usar droga.

Filho: “Eu fui lá fumar maconha com a minha mãe”.

Pai: “Ah, para, velho!”


Filho: “Eu ‘tô’ doidão”.


Pai: “Tô sabendo...”


Filho: “Eu falei assim: se eu não for lá com você, eu vou experimentar com outra gente”.


Pai: “Não, ‘tá’ certo”.


Filho: “Ela disse que se for para fumar maconha, para fumar com ela”.


Pai: “É, e comigo, ou então comigo”.


A reação do pai surpreendeu policiais responsáveis pela investigação e levanta novos questionamentos sobre o papel dos pais na orientação dos filhos, para evitar que eles se percam no mundo das drogas. “Eu percebo um equívoco nos familiares que acreditam que liberando o uso de substâncias para os seus filhos próximos a si, eles têm controle sobre esse uso. Isto não é verdade”, comentou o psiquiatra especialista em dependência química, Jorge Jaber. Segundo a Polícia Federal, o aumento no número de prisões de jovens de classe média está diretamente ligado ao crescimento do consumo de drogas sintéticas, como o ecstasy.

Família de jovem acredita que ele não tem envolvimento com o crime

Um dos presos na quarta-feira (11) foi um jovem de 25 anos, morador da Lagoa, bairro nobre da Zona Sul do Rio, que, segundo a Polícia Federal, é dono de uma boca de fumo no Morro do Turano, na Zona Norte. O rapaz de classe média alta também seria o responsável da quadrilha pela entrada de armas no país. A família diz que ainda não acredita no envolvimento do rapaz com o crime. “O pai não se preocupa de ligar, acompanhar, onde é que o filho está, com quem está. Eu acho que se houver um pouco mais de atenção é possível perceber, né? A modificação, a atitude”, disse o delegado Victor César Carvalho, responsável pelo caso.

A Justiça Federal determinou que cinco jovens presos durante as operações fiquem isolados sob regime disciplinar diferenciado no presídio de Bangu I. Todos os presos negam as acusações.


fonte:G1
tags:
link do postPor anjoseguerreiros, às 12:19  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Fevereiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9




arquivos
visitas
blogs SAPO