notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
5.1.09
WASHINGTON - Os astrônomos encontraram estrelas jovens em partes da via láctea onde consideravam sua presença impossível, como nos limites do buraco negro situado no centro da galáxia, informou nesta segunda-feira a Associação Astronômica dos Estados Unidos.
- Literalmente avistamos estas estrelas no ato de suas formações - disse Elizabeth Humphreys, do Centro Smithsonian-Harvard para Astrofísica, durante uma apresentação na reunião da associação em Long Beach, na Califórnia.
O centro da Via Láctea está sujeito a enormes forças gravitacionais movidas por um buraco negro cuja massa é 4 milhões de vezes maior do que a do Sol. Esses puxões de gravidade deveriam desagregar as nuvens de moléculas em que surgem as estrelas.
No entanto, os astrônomos de Harvard-Smithsonian e do Instituto Max Planck para Radioastronomia, que empregaram o radiotelescópio interferométrico de 27 antenas de Socorro, no estado do Novo México, identificaram duas proto-estrelas localizadas a poucos anos luz do centro galáctico.
- Sua descoberta mostra que as estrelas, de fato, podem se formar muito perto do buraco negro no centro da Via Láctea - assinalou Humphreys na apresentação.
Essa é uma região misteriosa, oculta à pesquisa humana pelo pó e o gás espaciais. A luz visível não escapa do buraco e por isso os astrônomos devem usar outras freqüências como luz infravermelha e o rádio, que podem penetrar mais facilmente a nuvem de gás e pó cósmico.
Humphreys e seus colegas buscaram os sinais de rádio que indicam a presença das proto-estrelas ainda envolvidas em suas "cápsulas" de nascimento, e encontraram duas delas localizadas a distâncias entre sete e dez anos luz de distância do centro galáctico.
Combinadas com outra proto-estrela identificada anteriormente, os três exemplos mostram que há formação de estrelas perto do núcleo da Via Láctea.
Estas descobertas indicam que o gás molecular no centro da galáxia deve ser mais denso do que o calculado até agora.
Uma densidade mais alta facilitaria a gravidade de uma nuvem molecular a superar a atração exercida pelo buraco negro, permitindo não só a ela se manter agregada, mas também a se aglomerar para formar estrelas novas.


link do postPor anjoseguerreiros, às 19:43  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Janeiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9





arquivos
blogs SAPO