notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
1.5.09
Maranhão decreta estado de calamidade pública por conta das chuvas

SÃO LUÍS - A governadora Roseana Sarney decretou, nesta quarta-feira, estado de calamidade pública no Maranhão por causa das enchentes. De acordo com a Defesa Civil, 84 mil pessoas foram atingidas pelas chuvas. No total, 18 municípios decretaram situação de emergência. O Rio Mearim está 10 metros acima do normal. Em algumas regiões, moradores estão sem energia elétrica e água potável. Em Trizidela do Vale, por exemplo, 60% das casas e todo o comércio foram inundados. As chuvas intensas dos últimos dias fizeram quatro mortos e um desaparecido no estado.
Após a chuva de terça-feira, a BR-222 no oeste do estado e a MA-034, que dão acesso às cidades de Coelho Neto e Buriti de Inacia Vaz, foram interrompidas. A BR-316, próximo ao município de Alto Alegre, a MA-402, que liga a capital São Luís a região dos lençóis maranhenses estão interditadas há dois dias. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as chuvas no Maranhão só devem enfraquecer a partir desta quinta-feira.
Por causa das interdições, a
rodoviária de Teresina cancelou as viagens para várias cidades do Maranhão e do Pará. Não há previsão de quando a situação será regularizada. Segundo as empresas de ônibus, o faturamento caiu em até 60%. As passagens compradas antecipadamente estão tendo devolução do dinheiro.


TERESINA - O governador do Piauí, Wellington Dias, decretou nesta quinta-feira situação de emergência em todo o estado por causa das enchentes que desabrigaram, segundo dados oficiais, 3 mil famílias. Segundo Dias, famílias estão desabrigadas em Barras, Batalha, Campo Maior, Esperantina, Joaquim Pires, Joca Marques, Luiz Correia, Luzilândia, Miguel Alves, Piracuruca, Santa Filomena e Teresina.
O nível do Rio Poty, que corta Teresina, já está 11 metros acima do nível considerado normal e já alagou 16 bairros. A preocupação agora é que atinja o comércio e as áreas mais nobres da capital. Também é preocupante o aumento do nível do Rio Parnaíba, que já subiu cerca de 5,5 metros após a abertura de seis comportas da barragem de Boa Esperança para escoamento do São Francisco. A cota máxima do Rio Parnaíba é de 6,87 metros. Estima-se que, até domingo, ele suba mais 50 centímetros.
Dias declarou que 15 municípios estão com famílias desalojadas ou desabrigadas e 23 municípios estão isolados por causa de estradas, pontes e passagens molhadas cortadas pelas águas dos rios ou das chuvas.
- A meta é ter um atendimento ágil e, para isso, decretamos situação de emergência porque temos perspectivas de ter chuvas fortes pelo menos até a metade de maio, segundo as previsões meteorológicas. Temos pelo menos uns 15 dias para trabalhar sobre isso - falou Wellington Dias.
O gerente da Regional Oeste da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), Aírton Freitas, informou que em função das fortes chuvas ocorridas no Maranhão e no sul do Piauí está liberando em torno de 1,5 mil metros cúbicos do reservatório da Barragem de Boa Esperança, em Guadalupe, e essas águas vão chegar nesta sexta-feira em Teresina.
- A calha do rio Parnaíba ainda segurança, sem grandes transtornos esse volume de água, mas isso eleva o nível para próximo do limite - declarou Freitas.
Os rios Canindé, Gurgueia, Poty, Longá, Piracuruca e Maratoaoan tiveram grande volume de água e provocaram inindações nas cidades de Esperantina, Piracura, Barras e Batalha. Foram cortadas estradas ou comunidades ficaram isoladas em Barras, Miguel Alves, União, Novo Oriente, Barra D´Alcântara, Santa Filomena, Domingos Mourão, Júlio Borges, Isaías Coelho, Caraúbas, Caxingó, Esperantina, Bertolínia, Ribeiro Gonçalves, Santa Filomena, Lagoa Alegre, José de Freitas, São Luís do Piauí e São José da Canabrava e Picos.
- São cidades que a gente precisa ter atenção nesse período - declarou Dias.
O prefeito de Teresina, Silvio Mendes (PSDB), decretou estado de alerta na capital por causa das enchentes, que desabrigaram mil famílias.


fonte: O Globo On Line
link do postPor anjoseguerreiros, às 09:15  comentar

Maranhão decreta estado de calamidade pública por conta das chuvas

SÃO LUÍS - A governadora Roseana Sarney decretou, nesta quarta-feira, estado de calamidade pública no Maranhão por causa das enchentes. De acordo com a Defesa Civil, 84 mil pessoas foram atingidas pelas chuvas. No total, 18 municípios decretaram situação de emergência. O Rio Mearim está 10 metros acima do normal. Em algumas regiões, moradores estão sem energia elétrica e água potável. Em Trizidela do Vale, por exemplo, 60% das casas e todo o comércio foram inundados. As chuvas intensas dos últimos dias fizeram quatro mortos e um desaparecido no estado.
Após a chuva de terça-feira, a BR-222 no oeste do estado e a MA-034, que dão acesso às cidades de Coelho Neto e Buriti de Inacia Vaz, foram interrompidas. A BR-316, próximo ao município de Alto Alegre, a MA-402, que liga a capital São Luís a região dos lençóis maranhenses estão interditadas há dois dias. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as chuvas no Maranhão só devem enfraquecer a partir desta quinta-feira.
Por causa das interdições, a
rodoviária de Teresina cancelou as viagens para várias cidades do Maranhão e do Pará. Não há previsão de quando a situação será regularizada. Segundo as empresas de ônibus, o faturamento caiu em até 60%. As passagens compradas antecipadamente estão tendo devolução do dinheiro.


TERESINA - O governador do Piauí, Wellington Dias, decretou nesta quinta-feira situação de emergência em todo o estado por causa das enchentes que desabrigaram, segundo dados oficiais, 3 mil famílias. Segundo Dias, famílias estão desabrigadas em Barras, Batalha, Campo Maior, Esperantina, Joaquim Pires, Joca Marques, Luiz Correia, Luzilândia, Miguel Alves, Piracuruca, Santa Filomena e Teresina.
O nível do Rio Poty, que corta Teresina, já está 11 metros acima do nível considerado normal e já alagou 16 bairros. A preocupação agora é que atinja o comércio e as áreas mais nobres da capital. Também é preocupante o aumento do nível do Rio Parnaíba, que já subiu cerca de 5,5 metros após a abertura de seis comportas da barragem de Boa Esperança para escoamento do São Francisco. A cota máxima do Rio Parnaíba é de 6,87 metros. Estima-se que, até domingo, ele suba mais 50 centímetros.
Dias declarou que 15 municípios estão com famílias desalojadas ou desabrigadas e 23 municípios estão isolados por causa de estradas, pontes e passagens molhadas cortadas pelas águas dos rios ou das chuvas.
- A meta é ter um atendimento ágil e, para isso, decretamos situação de emergência porque temos perspectivas de ter chuvas fortes pelo menos até a metade de maio, segundo as previsões meteorológicas. Temos pelo menos uns 15 dias para trabalhar sobre isso - falou Wellington Dias.
O gerente da Regional Oeste da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), Aírton Freitas, informou que em função das fortes chuvas ocorridas no Maranhão e no sul do Piauí está liberando em torno de 1,5 mil metros cúbicos do reservatório da Barragem de Boa Esperança, em Guadalupe, e essas águas vão chegar nesta sexta-feira em Teresina.
- A calha do rio Parnaíba ainda segurança, sem grandes transtornos esse volume de água, mas isso eleva o nível para próximo do limite - declarou Freitas.
Os rios Canindé, Gurgueia, Poty, Longá, Piracuruca e Maratoaoan tiveram grande volume de água e provocaram inindações nas cidades de Esperantina, Piracura, Barras e Batalha. Foram cortadas estradas ou comunidades ficaram isoladas em Barras, Miguel Alves, União, Novo Oriente, Barra D´Alcântara, Santa Filomena, Domingos Mourão, Júlio Borges, Isaías Coelho, Caraúbas, Caxingó, Esperantina, Bertolínia, Ribeiro Gonçalves, Santa Filomena, Lagoa Alegre, José de Freitas, São Luís do Piauí e São José da Canabrava e Picos.
- São cidades que a gente precisa ter atenção nesse período - declarou Dias.
O prefeito de Teresina, Silvio Mendes (PSDB), decretou estado de alerta na capital por causa das enchentes, que desabrigaram mil famílias.


fonte: O Globo On Line
link do postPor anjoseguerreiros, às 09:15  comentar

Maranhão decreta estado de calamidade pública por conta das chuvas

SÃO LUÍS - A governadora Roseana Sarney decretou, nesta quarta-feira, estado de calamidade pública no Maranhão por causa das enchentes. De acordo com a Defesa Civil, 84 mil pessoas foram atingidas pelas chuvas. No total, 18 municípios decretaram situação de emergência. O Rio Mearim está 10 metros acima do normal. Em algumas regiões, moradores estão sem energia elétrica e água potável. Em Trizidela do Vale, por exemplo, 60% das casas e todo o comércio foram inundados. As chuvas intensas dos últimos dias fizeram quatro mortos e um desaparecido no estado.
Após a chuva de terça-feira, a BR-222 no oeste do estado e a MA-034, que dão acesso às cidades de Coelho Neto e Buriti de Inacia Vaz, foram interrompidas. A BR-316, próximo ao município de Alto Alegre, a MA-402, que liga a capital São Luís a região dos lençóis maranhenses estão interditadas há dois dias. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as chuvas no Maranhão só devem enfraquecer a partir desta quinta-feira.
Por causa das interdições, a
rodoviária de Teresina cancelou as viagens para várias cidades do Maranhão e do Pará. Não há previsão de quando a situação será regularizada. Segundo as empresas de ônibus, o faturamento caiu em até 60%. As passagens compradas antecipadamente estão tendo devolução do dinheiro.


TERESINA - O governador do Piauí, Wellington Dias, decretou nesta quinta-feira situação de emergência em todo o estado por causa das enchentes que desabrigaram, segundo dados oficiais, 3 mil famílias. Segundo Dias, famílias estão desabrigadas em Barras, Batalha, Campo Maior, Esperantina, Joaquim Pires, Joca Marques, Luiz Correia, Luzilândia, Miguel Alves, Piracuruca, Santa Filomena e Teresina.
O nível do Rio Poty, que corta Teresina, já está 11 metros acima do nível considerado normal e já alagou 16 bairros. A preocupação agora é que atinja o comércio e as áreas mais nobres da capital. Também é preocupante o aumento do nível do Rio Parnaíba, que já subiu cerca de 5,5 metros após a abertura de seis comportas da barragem de Boa Esperança para escoamento do São Francisco. A cota máxima do Rio Parnaíba é de 6,87 metros. Estima-se que, até domingo, ele suba mais 50 centímetros.
Dias declarou que 15 municípios estão com famílias desalojadas ou desabrigadas e 23 municípios estão isolados por causa de estradas, pontes e passagens molhadas cortadas pelas águas dos rios ou das chuvas.
- A meta é ter um atendimento ágil e, para isso, decretamos situação de emergência porque temos perspectivas de ter chuvas fortes pelo menos até a metade de maio, segundo as previsões meteorológicas. Temos pelo menos uns 15 dias para trabalhar sobre isso - falou Wellington Dias.
O gerente da Regional Oeste da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), Aírton Freitas, informou que em função das fortes chuvas ocorridas no Maranhão e no sul do Piauí está liberando em torno de 1,5 mil metros cúbicos do reservatório da Barragem de Boa Esperança, em Guadalupe, e essas águas vão chegar nesta sexta-feira em Teresina.
- A calha do rio Parnaíba ainda segurança, sem grandes transtornos esse volume de água, mas isso eleva o nível para próximo do limite - declarou Freitas.
Os rios Canindé, Gurgueia, Poty, Longá, Piracuruca e Maratoaoan tiveram grande volume de água e provocaram inindações nas cidades de Esperantina, Piracura, Barras e Batalha. Foram cortadas estradas ou comunidades ficaram isoladas em Barras, Miguel Alves, União, Novo Oriente, Barra D´Alcântara, Santa Filomena, Domingos Mourão, Júlio Borges, Isaías Coelho, Caraúbas, Caxingó, Esperantina, Bertolínia, Ribeiro Gonçalves, Santa Filomena, Lagoa Alegre, José de Freitas, São Luís do Piauí e São José da Canabrava e Picos.
- São cidades que a gente precisa ter atenção nesse período - declarou Dias.
O prefeito de Teresina, Silvio Mendes (PSDB), decretou estado de alerta na capital por causa das enchentes, que desabrigaram mil famílias.


fonte: O Globo On Line
link do postPor anjoseguerreiros, às 09:15  comentar

Maranhão decreta estado de calamidade pública por conta das chuvas

SÃO LUÍS - A governadora Roseana Sarney decretou, nesta quarta-feira, estado de calamidade pública no Maranhão por causa das enchentes. De acordo com a Defesa Civil, 84 mil pessoas foram atingidas pelas chuvas. No total, 18 municípios decretaram situação de emergência. O Rio Mearim está 10 metros acima do normal. Em algumas regiões, moradores estão sem energia elétrica e água potável. Em Trizidela do Vale, por exemplo, 60% das casas e todo o comércio foram inundados. As chuvas intensas dos últimos dias fizeram quatro mortos e um desaparecido no estado.
Após a chuva de terça-feira, a BR-222 no oeste do estado e a MA-034, que dão acesso às cidades de Coelho Neto e Buriti de Inacia Vaz, foram interrompidas. A BR-316, próximo ao município de Alto Alegre, a MA-402, que liga a capital São Luís a região dos lençóis maranhenses estão interditadas há dois dias. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as chuvas no Maranhão só devem enfraquecer a partir desta quinta-feira.
Por causa das interdições, a
rodoviária de Teresina cancelou as viagens para várias cidades do Maranhão e do Pará. Não há previsão de quando a situação será regularizada. Segundo as empresas de ônibus, o faturamento caiu em até 60%. As passagens compradas antecipadamente estão tendo devolução do dinheiro.


TERESINA - O governador do Piauí, Wellington Dias, decretou nesta quinta-feira situação de emergência em todo o estado por causa das enchentes que desabrigaram, segundo dados oficiais, 3 mil famílias. Segundo Dias, famílias estão desabrigadas em Barras, Batalha, Campo Maior, Esperantina, Joaquim Pires, Joca Marques, Luiz Correia, Luzilândia, Miguel Alves, Piracuruca, Santa Filomena e Teresina.
O nível do Rio Poty, que corta Teresina, já está 11 metros acima do nível considerado normal e já alagou 16 bairros. A preocupação agora é que atinja o comércio e as áreas mais nobres da capital. Também é preocupante o aumento do nível do Rio Parnaíba, que já subiu cerca de 5,5 metros após a abertura de seis comportas da barragem de Boa Esperança para escoamento do São Francisco. A cota máxima do Rio Parnaíba é de 6,87 metros. Estima-se que, até domingo, ele suba mais 50 centímetros.
Dias declarou que 15 municípios estão com famílias desalojadas ou desabrigadas e 23 municípios estão isolados por causa de estradas, pontes e passagens molhadas cortadas pelas águas dos rios ou das chuvas.
- A meta é ter um atendimento ágil e, para isso, decretamos situação de emergência porque temos perspectivas de ter chuvas fortes pelo menos até a metade de maio, segundo as previsões meteorológicas. Temos pelo menos uns 15 dias para trabalhar sobre isso - falou Wellington Dias.
O gerente da Regional Oeste da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), Aírton Freitas, informou que em função das fortes chuvas ocorridas no Maranhão e no sul do Piauí está liberando em torno de 1,5 mil metros cúbicos do reservatório da Barragem de Boa Esperança, em Guadalupe, e essas águas vão chegar nesta sexta-feira em Teresina.
- A calha do rio Parnaíba ainda segurança, sem grandes transtornos esse volume de água, mas isso eleva o nível para próximo do limite - declarou Freitas.
Os rios Canindé, Gurgueia, Poty, Longá, Piracuruca e Maratoaoan tiveram grande volume de água e provocaram inindações nas cidades de Esperantina, Piracura, Barras e Batalha. Foram cortadas estradas ou comunidades ficaram isoladas em Barras, Miguel Alves, União, Novo Oriente, Barra D´Alcântara, Santa Filomena, Domingos Mourão, Júlio Borges, Isaías Coelho, Caraúbas, Caxingó, Esperantina, Bertolínia, Ribeiro Gonçalves, Santa Filomena, Lagoa Alegre, José de Freitas, São Luís do Piauí e São José da Canabrava e Picos.
- São cidades que a gente precisa ter atenção nesse período - declarou Dias.
O prefeito de Teresina, Silvio Mendes (PSDB), decretou estado de alerta na capital por causa das enchentes, que desabrigaram mil famílias.


fonte: O Globo On Line
link do postPor anjoseguerreiros, às 09:15  comentar

Maranhão decreta estado de calamidade pública por conta das chuvas

SÃO LUÍS - A governadora Roseana Sarney decretou, nesta quarta-feira, estado de calamidade pública no Maranhão por causa das enchentes. De acordo com a Defesa Civil, 84 mil pessoas foram atingidas pelas chuvas. No total, 18 municípios decretaram situação de emergência. O Rio Mearim está 10 metros acima do normal. Em algumas regiões, moradores estão sem energia elétrica e água potável. Em Trizidela do Vale, por exemplo, 60% das casas e todo o comércio foram inundados. As chuvas intensas dos últimos dias fizeram quatro mortos e um desaparecido no estado.
Após a chuva de terça-feira, a BR-222 no oeste do estado e a MA-034, que dão acesso às cidades de Coelho Neto e Buriti de Inacia Vaz, foram interrompidas. A BR-316, próximo ao município de Alto Alegre, a MA-402, que liga a capital São Luís a região dos lençóis maranhenses estão interditadas há dois dias. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as chuvas no Maranhão só devem enfraquecer a partir desta quinta-feira.
Por causa das interdições, a
rodoviária de Teresina cancelou as viagens para várias cidades do Maranhão e do Pará. Não há previsão de quando a situação será regularizada. Segundo as empresas de ônibus, o faturamento caiu em até 60%. As passagens compradas antecipadamente estão tendo devolução do dinheiro.


TERESINA - O governador do Piauí, Wellington Dias, decretou nesta quinta-feira situação de emergência em todo o estado por causa das enchentes que desabrigaram, segundo dados oficiais, 3 mil famílias. Segundo Dias, famílias estão desabrigadas em Barras, Batalha, Campo Maior, Esperantina, Joaquim Pires, Joca Marques, Luiz Correia, Luzilândia, Miguel Alves, Piracuruca, Santa Filomena e Teresina.
O nível do Rio Poty, que corta Teresina, já está 11 metros acima do nível considerado normal e já alagou 16 bairros. A preocupação agora é que atinja o comércio e as áreas mais nobres da capital. Também é preocupante o aumento do nível do Rio Parnaíba, que já subiu cerca de 5,5 metros após a abertura de seis comportas da barragem de Boa Esperança para escoamento do São Francisco. A cota máxima do Rio Parnaíba é de 6,87 metros. Estima-se que, até domingo, ele suba mais 50 centímetros.
Dias declarou que 15 municípios estão com famílias desalojadas ou desabrigadas e 23 municípios estão isolados por causa de estradas, pontes e passagens molhadas cortadas pelas águas dos rios ou das chuvas.
- A meta é ter um atendimento ágil e, para isso, decretamos situação de emergência porque temos perspectivas de ter chuvas fortes pelo menos até a metade de maio, segundo as previsões meteorológicas. Temos pelo menos uns 15 dias para trabalhar sobre isso - falou Wellington Dias.
O gerente da Regional Oeste da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), Aírton Freitas, informou que em função das fortes chuvas ocorridas no Maranhão e no sul do Piauí está liberando em torno de 1,5 mil metros cúbicos do reservatório da Barragem de Boa Esperança, em Guadalupe, e essas águas vão chegar nesta sexta-feira em Teresina.
- A calha do rio Parnaíba ainda segurança, sem grandes transtornos esse volume de água, mas isso eleva o nível para próximo do limite - declarou Freitas.
Os rios Canindé, Gurgueia, Poty, Longá, Piracuruca e Maratoaoan tiveram grande volume de água e provocaram inindações nas cidades de Esperantina, Piracura, Barras e Batalha. Foram cortadas estradas ou comunidades ficaram isoladas em Barras, Miguel Alves, União, Novo Oriente, Barra D´Alcântara, Santa Filomena, Domingos Mourão, Júlio Borges, Isaías Coelho, Caraúbas, Caxingó, Esperantina, Bertolínia, Ribeiro Gonçalves, Santa Filomena, Lagoa Alegre, José de Freitas, São Luís do Piauí e São José da Canabrava e Picos.
- São cidades que a gente precisa ter atenção nesse período - declarou Dias.
O prefeito de Teresina, Silvio Mendes (PSDB), decretou estado de alerta na capital por causa das enchentes, que desabrigaram mil famílias.


fonte: O Globo On Line
link do postPor anjoseguerreiros, às 09:15  comentar

Maranhão decreta estado de calamidade pública por conta das chuvas

SÃO LUÍS - A governadora Roseana Sarney decretou, nesta quarta-feira, estado de calamidade pública no Maranhão por causa das enchentes. De acordo com a Defesa Civil, 84 mil pessoas foram atingidas pelas chuvas. No total, 18 municípios decretaram situação de emergência. O Rio Mearim está 10 metros acima do normal. Em algumas regiões, moradores estão sem energia elétrica e água potável. Em Trizidela do Vale, por exemplo, 60% das casas e todo o comércio foram inundados. As chuvas intensas dos últimos dias fizeram quatro mortos e um desaparecido no estado.
Após a chuva de terça-feira, a BR-222 no oeste do estado e a MA-034, que dão acesso às cidades de Coelho Neto e Buriti de Inacia Vaz, foram interrompidas. A BR-316, próximo ao município de Alto Alegre, a MA-402, que liga a capital São Luís a região dos lençóis maranhenses estão interditadas há dois dias. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as chuvas no Maranhão só devem enfraquecer a partir desta quinta-feira.
Por causa das interdições, a
rodoviária de Teresina cancelou as viagens para várias cidades do Maranhão e do Pará. Não há previsão de quando a situação será regularizada. Segundo as empresas de ônibus, o faturamento caiu em até 60%. As passagens compradas antecipadamente estão tendo devolução do dinheiro.


TERESINA - O governador do Piauí, Wellington Dias, decretou nesta quinta-feira situação de emergência em todo o estado por causa das enchentes que desabrigaram, segundo dados oficiais, 3 mil famílias. Segundo Dias, famílias estão desabrigadas em Barras, Batalha, Campo Maior, Esperantina, Joaquim Pires, Joca Marques, Luiz Correia, Luzilândia, Miguel Alves, Piracuruca, Santa Filomena e Teresina.
O nível do Rio Poty, que corta Teresina, já está 11 metros acima do nível considerado normal e já alagou 16 bairros. A preocupação agora é que atinja o comércio e as áreas mais nobres da capital. Também é preocupante o aumento do nível do Rio Parnaíba, que já subiu cerca de 5,5 metros após a abertura de seis comportas da barragem de Boa Esperança para escoamento do São Francisco. A cota máxima do Rio Parnaíba é de 6,87 metros. Estima-se que, até domingo, ele suba mais 50 centímetros.
Dias declarou que 15 municípios estão com famílias desalojadas ou desabrigadas e 23 municípios estão isolados por causa de estradas, pontes e passagens molhadas cortadas pelas águas dos rios ou das chuvas.
- A meta é ter um atendimento ágil e, para isso, decretamos situação de emergência porque temos perspectivas de ter chuvas fortes pelo menos até a metade de maio, segundo as previsões meteorológicas. Temos pelo menos uns 15 dias para trabalhar sobre isso - falou Wellington Dias.
O gerente da Regional Oeste da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), Aírton Freitas, informou que em função das fortes chuvas ocorridas no Maranhão e no sul do Piauí está liberando em torno de 1,5 mil metros cúbicos do reservatório da Barragem de Boa Esperança, em Guadalupe, e essas águas vão chegar nesta sexta-feira em Teresina.
- A calha do rio Parnaíba ainda segurança, sem grandes transtornos esse volume de água, mas isso eleva o nível para próximo do limite - declarou Freitas.
Os rios Canindé, Gurgueia, Poty, Longá, Piracuruca e Maratoaoan tiveram grande volume de água e provocaram inindações nas cidades de Esperantina, Piracura, Barras e Batalha. Foram cortadas estradas ou comunidades ficaram isoladas em Barras, Miguel Alves, União, Novo Oriente, Barra D´Alcântara, Santa Filomena, Domingos Mourão, Júlio Borges, Isaías Coelho, Caraúbas, Caxingó, Esperantina, Bertolínia, Ribeiro Gonçalves, Santa Filomena, Lagoa Alegre, José de Freitas, São Luís do Piauí e São José da Canabrava e Picos.
- São cidades que a gente precisa ter atenção nesse período - declarou Dias.
O prefeito de Teresina, Silvio Mendes (PSDB), decretou estado de alerta na capital por causa das enchentes, que desabrigaram mil famílias.


fonte: O Globo On Line
link do postPor anjoseguerreiros, às 09:15  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Maio 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9






arquivos
subscrever feeds
blogs SAPO