notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
11.2.09
Para garantir que o Carnaval seja seguro para os visitantes, a polícia do Rio divulgou um plano estratégico para receber os turistas. Ao todo, 250 homens vão atuar nos principais pontos turísticos da cidade de 20 a 28 de fevereiro.
Porém, quem pretende viajar e aproveitar os desfiles e blocos de rua não deve se preocupar apenas com a segurança. Veja as orientações de Rossani Funari, clínica médica do hospital Edmundo Vasconcelos, para cuidar também da saúde durante o feriado.
Durante essa época, algumas doenças são mais frequentes, já que muitas pessoas ficam expostas a situações de riscos, que vão de doenças sexualmente transmissíveis a desidratação.
Segundo a médica, a orientação é que as pessoas não deixem de:
1 Beber bastante líquido
2. Usar protetor solar e repelente
3. Moderar nas bebidas alcoólicas
4. Usar preservativos

Cuidado ao beijar

Em meio aos blocos de carnavais, diversão, gente bonita e muita música, o cuidado com o beijo é essencial. "Os beijoqueiros devem ser cautelosos. Se estiver com feridas ou qualquer tipo de sangramento na boca, o melhor é não beijar ninguém ou evitar beijar muitas pessoas", alerta o infectologista Celso Granato.
A infecção mais comum por esse contato é a mononucleose, também conhecida como "doença do beijo". A síndrome infectocontagiosa acomete principalmente adolescentes e adultos jovens, entre 15 e 25 anos, com sintomas de febre, dor de garganta e aumento de linfonodos (popularmente conhecidos como gânglios ou ínguas) na região do pescoço. Para ter uma idéia de sua freqüência em nosso meio, mais de 90% da população adulta possui anticorpos contra o agente que provoca essa infecção. Isso significa que em algum momento da vida o indivíduo entrou em contato com esse vírus, mesmo que não tenha desenvolvido nenhum quadro clínico característico. Uma outra infecção relacionada a contato íntimo, beijo ou compartilhamento de utensílios contaminados é o herpes. Cerca de 20% das pessoas podem terherpes crônico 1, isso quer dizer que a cada cinco pessoas que já tiveram a infecção, uma vai apresentar herpes de forma recorrente. Ao beijar um portador do vírus herpes simplex, mesmo que no momento do contato a outra pessoa não apresente a infecção (pequenas bolhas nos lábios, como num buquê), é possível contrair o vírus. Embora não seja grave, é uma infecção recidivante, dolorosa e que pode acometer outras regiões do corpo.A transmissão do vírus da hepatite A também pode acontecer por meio do contatode pessoa a pessoa. A doença pode não se manifestar em algumas pessoas,no entanto, naquelas que nunca tiveram contato prévio com esse vírus podeser grave. Apesar disso, tanto a infecção resolvida pelo próprio organismo quantoa vacinação conferem imunidade permanente contra o vírus. O citomegalovírus é uma outra virose muito comum entre a população jovem. Esse vírus raramente causa problemas mais sérios em pessoas saudáveis, mas, em indivíduos com o sistema imunológico comprometido - os imunodeprimidos, têm potencial para acometer o sistema nervoso central e o trato digestivo, além de causar hepatite, pneumonia e inflamação da retina, com risco de cegueira. ( Editoria de Saúde
tags:
link do postPor anjoseguerreiros, às 09:52 

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Fevereiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6
7

8
9




arquivos
subscrever feeds
blogs SAPO