notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
27.1.09
RIO - Em tempos de vestibular, muitos estudantes mantêm várias atividades paralelas aos estudos para a prova do concurso. Uma opção encontrada por alguns é apostar em cursos pré-vestibulares online. Além da flexibilidade de horário, o estudo pela internet oferece outros atrativos como o preço e a possibilidade de revisar a matéria ou o vídeo quantas vezes forem necessárias e ainda a chance de tirar dúvidas com professores através de chats ao vivo. Mas, é preciso cuidado na escolha dos cursos, eles não são fiscalizados pelo Ministério da Educação (MEC). O orgão só fiscaliza os cursos de nível superior.
A estudante Gisely Marins, de 23 anos, encontrou num curso pela internet a saída para conseguir conciliar o trabalho com os estudos e com outros afazeres do dia-a-dia.
- Pretendo cursar administração numa universidade pública pelo sistema de educação à distância. Estou estudando para a prova de vestibular da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) através de vídeo aulas pela internet - afirma.
" O estudo online requer esforço do aluno para que seja proveitoso e não haja dispersão (Waldomiro Loyolla) "
Já a estudante Marina Alves, 21 anos, usa o estudo online para complementar as aulas presenciais do cursinho pré-vestibular. Ela prefere estudar através dos vídeos disponíveis no site You Tube.
- Procuro estudar de duas a três horas através das web aulas. Durante esse tempo, desligo o MSN e não entro no e-mail, tudo para não desviar a atenção do meu objetivo - ensina a estudante.
Segundo Waldomiro Loyolla, presidente do conselho científico da Associação Brasileira de Educação à Distância, o estudo online requer esforço do aluno para que seja proveitoso e não haja dispersão.
- O estudante deve evitar entrar em outros sites além dos que usa para estudar. É bem difícil resistir, mas é preciso ser determinado - recomenda Loyolla, frisando que a pouca idade dos vestibulandos não significa que o aluno não tenha maturidade suficiente para aprender através de aulas online.
- O método é uma boa alternativa para os jovens se prepararem para processos seletivos. Como o objetivo principal do estudante é passar no vestibular existe uma meta que o motiva a não desviar a atenção para outras distrações encontradas na internet - afirma Loyolla, acrescentando que o vestibulando deve estabelecer um calendário de estudos para se organizar de acordo com seus horários livres.
Casos de estudantes que não se adaptam ao método existem, mas não são freqüentes. Viviani Oliveira dos Santos, de 18 anos, aluna de um curso técnico de informática pela internet aplicado através de web aulas começou a utilizar o método depois da indicação de uma amiga. Agora depois de mais de três meses, ela já pretende até fazer um cursinho pré-vestibular online.
- No primeiro dia de estudo foi mais difícil, mas não tem mistério. No segundo dia já estava adaptada ao método. Agora está sendo muito mais proveitoso do que eu imaginava, além de ser mais em conta financeiramente - revela.
Já Mara Victoria dos Santos, de 22 anos, é contraria a didática dos cursos online e não acredita que o ensino à distância pode substituir as aulas presenciais.
- A figura do professor é muito importante. Não sou autodidata. É melhor ir às salas de aula e ter o professor que explica toda a matéria porque fica mais objetivo. Quando se trata de cursinho on-line, o aprendizado é autônomo - justifica Victoria.
Para Mariana Bertolo, de 20 anos, os cursinhos através da internet devem ensinar os alunos a mexer nas ferramentas.
- Muitos jovens só usam a internet como meio de diversão. É preciso ter uma certa familiaridade com a tecnologia do ensino à distância online - explica.


link do postPor anjoseguerreiros, às 16:51  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Janeiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9





arquivos
blogs SAPO