notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
26.1.09
RIO - Uma moradora de Lavras, em Minas Gerais, passou mal durante um cruzeiro e morreu cinco dias depois num hospital em Santa Catarina. Tânia Lúcia Alves Botelho, de 58 anos, fazia uma viagem com a família de Santos a Punta del Leste, no Uruguai, quando não se sentiu bem e foi internada em um hospital Santa Inês no sul do país. Ela acabou falecendo no fim de semana. Parentes suspeitam que ela tenha sofrido uma intoxicação alimentar.
Esta é a quinta morte que acontece em um cruzeiro no país nos últimos dois meses. Em dezembro, a estudante Isabella Bacarat Negrato, de 20 anos, passou mal durante uma viagem e morreu asfixiada pelo próprio vômito . Moradora de Bauru, em São Paulo, ela participava de um cruzeiro universitário que tinha saído do Porto de Santos em direção ao Rio de Janeiro.
No dia 19, o empresário Diego Mendes de Oliveira, de 26 anos, morreu a bordo do navio Soberano após passar mal durante o cruzeiro . Ele teve febre e vômitos e depois outros sintomas surgiram, como dores nas pernas, no estômago e manchas pelo corpo. Inicialmente, foi aventada a hipótese de ter sido intoxicação alimentar, pois ele havia comido ostras na Bahia, mas o laudo do IML mostrou que a causa da morte foi meningite. Diego morava em Santo André e estava a passeio com dois amigos e o irmão. Ele tinha saído de Santos e fazia um roteiro pela costa brasileira.
Nove dias antes, uma mulher de 74 anos morreu a bordo do transatlântico MSC Musica no litoral paulista. Segundo os organizadores, ela sofreu uma parada cardíaca e faleceu no momento em que fazia check out no Porto de Santos. Uma equipe médica teria tentado reanimá-la, sem sucesso.
No início do ano, um outro problema envolvendo cruzeiros aconteceu na Bahia. Durante uma viagem do navio MSC Sinfonia, que saiu do Rio de Janeiro para uma viagem pelo litoral do Nordeste, cerca de 380 passageiros apresentaram um quadro de gastrenterite . O incidente fez o navio ser retido no Porto de Salvador por determinação da Secretaria de Saúde da Bahia e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Eles fizeram uma vistoria nas instalações da embarcação e recolheram amostras de água e alimentos.
Neste mesmo navio, morreu a cadeirante Aline Mion Almeida, de 32 anos, que viajava com parentes no momento em que a embarcação navegava no litoral pernambucano. Mas o caso não teve relação com o surto de infecção intestinal.
link do postPor anjoseguerreiros, às 18:07  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Janeiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9





arquivos
blogs SAPO