notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
23.2.09
Dispostos a sair da lama da crise econômica mundial - ou a não entrar nela - os fabricantes de telefones celulares e congêneres se reuniram semana passada, em Barcelona, dispostos a "pegar o touro da crise pelos chifres". Maior feira de telecomunicações do planeta, a Mobile World Congress (MWC) mostrou que há fôlego de sobra para uma indústria que continua gerando frutos. Foram muitos os lançamentos, tanto em software quanto em hardware.O primeiro grande anúncio, que vai impactar a vida de todos os usuários de celulares daqui para a frente, foi a aceitação geral de um padrão universal de carregadores de celulares, o MicroUSB, já usado por muitos fabricantes.
A partir de 2012, o padrão será adotado por todos os novos modelos, mas desde já a indústria deve rumar em direção ao carregador universal. Acredita-se que a medida pode levar à diminuição de 50% das fontes de energia fabricadas por ano. O anúncio tem propósitos ecológicos, uma vez que a indústria espera reduzir os gases que provocam o efeito estufa produzidos pela fabricação e transporte de pelo menos 13,6 toneladas de aparelhos anualmente.
O MWC também provou que a indústria precisa se diversificar e, seguindo uma tendência liderada por Apple e Nokia, outros pesos-pesados anunciaram a entrada no universo dos aplicativos móveis. A Microsoft, por exemplo, avisou que vai lançar uma loja nos moldes da App Store e da OVI. Steve Ballmer aproveitou o ensejo para anunciar o novo Windows Mobile 6.5, compatível com aparelhos touchscreen e players Flash e, a reboque, a criação de uma legião de "Windows Phone".A DIGITAL separou os melhores momentos de um congresso que é apenas o começo da virada do setor. Será?

Os novos candidatos a sonho de consumo
Eles são sempre as estrelas e, por isso mesmo, não podem faltar. Os celulares, principalmente os da classe dos smartphones, chegaram aos borbotões no Mobile World Congress, provenientes de fabricantes tradicionais como Nokia, Samsung, LG, Motorola, Sony Ericsson e HTC, além de estreantes como Acer e Asus, além de marcas pouco conhecidas como a Emporia. O touchscreen continua em alta, assim como os sistemas operacionais abertos, que permitem a inserção, nos aparelhos, de uma leva de aplicativos.
A Nokia se animou e mostrou novidades como o E75, voltado para comunicação, internet e email. O modelo, um desktop em movimento com teclado QWERTY deslizante, é o primeiro com Nokia Messaging, aplicativo que permite conexão direta a mais de 90% das caixas postais de emails corporativos, dentre eles o Mail for Exchange e o IBM Lotus Notes Traveler.
Outro anúncio foi o Nokia E55, mais fino já lançado pela empresa, também com teclado QWERTY, só que com menos teclas. O modelo tem outro apelo irresistível: um tempo de duração da bateria de quase um mês no modo standby. Também estrearam o 6710 Navigator, com GPS dedicado, e o Nokia 6720 classic, que aposta nos recursos de voz através do cancelamento ativo de ruído e um formato que se adapta ao rosto. Por último, foi anunciado que o N97, grande aposta contra o iPhone, chega às lojas europeias em junho.
Quem causou frisson foi a Sony Ericsson, que lotou o estande com o Idou, com câmera de 12 megapixels, flash Xenon e tela touch de 3,5 $, que já está sendo chamado, pelos entendidos, de "multimídia monstro". O aparelho é 3G, tem Wi-Fi e roda sistema operacional Symbian OS S60, o mais moderno.
A Samsung apostou em aparelhos musicais, como o BeatDisc e o BeatDJ. O primeiro tem corpo que desliza e é totalmente touchscreen; o segundo permite que o dono brinque de DJ, com a incorporação da aplicação UI, que permite a criação de efeitos musicais. Ambos trazem amplificador digital Bang&Olufssen. A coreana também apresentou a 2 geração do Omnia. O Omnia HD tem display OLED, nova geração de visores mais finos e leves. Ele ainda grava vídeos em alta definição.
A LG tirou da cartola o Arena KM900, que traz um interessante conceito de cubo - o dono pode girar a interface tridimensional apresentada na tela do aparelho, trazendo para frente do display a próxima face do cubo. O modelo tem suporte Dolby e Divx, roda em redes 3G HSDPA, Wi-Fi e GPS. A câmera é de 5 megapixels.
A Acer lançou o M900, com teclado QWERTY, tela de 3,8 polegadas sensível a toque e sensor biométrico. O aparelho acessa redes HSDPA, tem GPS e câmera de 5MPx. Já o F900 não tem teclado plástico - simula um na tela de 3,8 polegadas toushcreeen. O modelo tem câmera de 3,2 megapixel e acessa redes HSUPA e Wi-Fi.


link do postPor anjoseguerreiros, às 13:26  comentar


pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Julho 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4

5
6
7
8
9


21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


arquivos
visitas
blogs SAPO