notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
11.1.09

Laboratórios oferecem exames por R$ 3,50 às classes C e D e planos ficam mais baratos

Rio - Depois do varejo e dos bancos oferecerem crédito ampliado para conquistar os clientes de baixa renda, o setor de saúde privada despertou para esse segmento. A última novidade são os laboratórios que têm valores diferenciados para as classes C e D, com exames clínicos a partir de R$ 3,50. Ao pagar pelo serviço mais em conta, o paciente pode fugir das filas e da longa espera no setor público.O serviço mais barato ganha força se aliado a um outro que cresceu nos últimos dois anos: planos de saúde a preços baixos. Um dos fatores que contribuem para essa mudança é o número cada vez maior de hospitais próprios de operadoras de saúde. De 2006 para cá, a lista aumentou de 300 para 500 em todo o País.
Além dos valores mais em conta, a estratégia permite que as empresas ofereçam um atendimento personalizado. Cliente do Memorial Saúde, adepto ao modelo, a auxiliar de governança Nayara Esther, 21 anos, aprova a estratégia que une hospital a plano de saúde: “Vejo esse sistema como vantajoso. Além de pagar menos, ganho tempo por fazer exames no mesmo lugar”.
Os laboratórios Maiolino e Bronstein abriram as suas portas para os clientes que não têm cobertura e não podem pagar caro por um exame de análises clínicas ou opções mais complexas, como ressonância magnética, tomografia computadorizada e mamografia.
Os programas Maiolino Fácil e Bronstein Popular já são responsáveis por cerca de 15% dos atendimentos dos laboratórios. Exame de triglicerídeos, por exemplo, sai a R$ 3,50 e o de glicose, a R$ 3,90, no Maiolino Fácil.
Já o Bronstein Popular conta com 30 unidades que oferecem todos os tipos de exames por valores mais acessíveis, desde a área de imagem e métodos gráficos (como tomografia e mamografia), até a dos exames de análises clínicas. A empresa pretende, segundo a Gestora do Bronstein, Fabiana Barini, aumentar o número de unidades até março. O Bronstein Popular está presente nos principais bairros das zonas Oeste e Norte, no Centro e na Baixada.
No Rio, o laboratório Maiolino é administrado pela NKB, uma unidade de negócios do Grupo Fleury. O diretor da NKB, Cláudio Pereira, garante que os exames de análises clínicas participantes do programa Maiolino Fácil têm a mesma qualidade dos demais oferecidos pela rede. “A entrega dos resultados também respeita o mesmo prazo dos planos particulares”, explica.
Pacientes interessados no Bronstein Popular devem ligar para a central de atendimento (2227-8080). Quem optar pelo Maiolino Fácil pode entrar em contato pelo telefone 3003-0340.
Nos dois laboratórios, basta chegar ao local indicado de atendimento com a guia de exame e apresentar um documento de identidade.
TRATAMENTO SEM LIMITES
Apesar de oferecer planos de saúde a preços mais atraentes, há um receio geral de que haja limitação dos procedimentos necessários para o tratamento do paciente, uma vez que pode haver conflito de interesses entre operadora e hospital.
Outra questão é que muitos hospitais conceituados no mercado acabam sendo substituídos pelas próprias operadoras, impedindo que pacientes tenham acesso aos tradicionais centros de tratamento. “Se o consumidor quer um plano mais barato, então esse sistema é positivo. Mas, se ele quer qualidade dos serviços prestados, corre riscos com a estratégia”, alerta Vanessa Vieira, advogada da Pro Teste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor).
O processo também é visto com desconfiança pelos hospitais privados. Diretor-técnico comercial do Hospital Pró-Cardíaco, em Botafogo, Ary Ribeiro explica que o setor vê o sistema com preocupação: “O problema é que pode haver um conflito embutido entre a prestação de serviços e o custo desta prestação para o paciente”. As vantagens do modelo, no entanto, são destacadas por Arlindo de Almeida, presidente da Abramge (Associação Brasileira de Medicina de Grupo): “Com a união de operadora e hospital, o tratamento fica arquivado num prontuário único (eletrônico), tornando o atendimento personalizado. Além disso, o paciente tem acesso a um plano mais barato”.


fonte:ODIAONLINE
tags:
link do postPor anjoseguerreiros, às 19:56  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Janeiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9





arquivos
visitas
blogs SAPO