notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
30.12.08

Cinco municípios usarão peixes para aumentar o consumo do alimento.Ainda estão previstos arrumadinho de peixe e baião de dois com pescado.

Arrumadinho de peixe, escondidinho de tilápia e baião de dois com peixe (baião de três). Os pratos típicos da culinária nordestina trocaram a carne pelo pescado e estarão presentes n.o cardápio de algumas escolas públicas do interior de Pernambuco em 2009. A informação é da assessoria de imprensa do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). O novo “menu” faz parte da segunda etapa do Programa de Inclusão do Pescado na Alimentação Escolar. Cinco municípios terão a novidade. Na primeira fase do programa, durante este ano, o Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição do Escolar da Universidade Federal de Pernambuco (Cecane/UFPE) promoveu a capacitação em 21 municípios do interior de Pernambuco.
Arrumadinho de peixe, escondidinho de tilápia e baião de dois com peixe (baião de três). Os pratos típicos da culinária nordestina trocaram a carne pelo pescado e estarão presentes no cardápio de algumas escolas públicas do interior de Pernambuco em 2009. A informação é da assessoria de imprensa do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). O novo “menu” faz parte da segunda etapa do Programa de Inclusão do Pescado na Alimentação Escolar. Cinco municípios terão a novidade. Na primeira fase do programa, durante este ano, o Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição do Escolar da Universidade Federal de Pernambuco (Cecane/UFPE) promoveu a capacitação em 21 municípios do interior de Pernambuco.
Os treinamentos foram voltados para pescadores, merendeiras, nutricionistas, conselheiros de alimentação escolar e gestores públicos. “A intenção é oferecer aos alunos um produto de alto teor protéico”, afirmou José Claudenor Vermohlen, subsecretário de Planejamento da Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca. “Os pescadores aprenderam a manipular o pescado e as merendeiras gostaram de trabalhar com o peixe logo de início, apesar das reclamações sobre o cheiro”, brinca Sônia Lucena, coordenadora do Cecane. A idéia é ampliar o projeto para mais 20 municípios do litoral pernambucano. O programa é uma parceria entre o FNDE e a Secretaria Especial de Agricultura e Pesca (Seap).



FONTE: G1
link do postPor anjoseguerreiros, às 16:23  comentar

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Dezembro 2008
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26



arquivos
visitas
blogs SAPO