notícias atuais sobre saúde, violência,justiça,cidadania,educação, cultura,direitos humanos,ecologia, variedades,comportamento
20.1.09
SÃO PAULO - A Igreja Renascer em Cristo divulgou nota, na noite desta segunda-feira, afirmando que em 2008, uma empresa foi contratada para trocar todas as telhas do telhado que desabou na noite de domingo. No acidente, nove pessoas morreram e mais de 100 ficaram feridas. Uma menina de 8 anos está em estado gravíssimo. Para a prefeitura da capital, essa reforma é uma surpresa, porque não foi pedida autorização para sua execução.
- Desconheço qualquer reforma. Se houve, foi indevida - disse o secretário municipal de Habitação, Orlando de Almeida.
- A empresa Etersul foi contratada para realizar toda a troca de telhas, e cuidando de todos os aspectos relacionados a esse trabalho, parte burocrática e administrativa, incluindo sua regulamentação - diz a nota da Igreja, afirmando ainda que a obra durou 70 dias.
A informação desmente uma declaração do próprio presidente da instituição, Geraldo Tenuta. Neste domingo, o bispo da Renascer negou qualquer reforma no telhado.
- Não houve reforma. Foi feito somente uma pintura - afirmou Geraldo Tenuta, no domingo.
A queda repentina de todo o telhado aponta para uma falha da estrutura do telhado. Mas a instituição alega que a estrutura, que foi toda trocada em 1999, é segura.
- Na reforma (de 1999), a estrutura de madeira que sustenta o telhado foi aliviada de qualquer peso extra: o ar condicionado central, os dutos de distribuição do ar, os rufos e calhas, o teto de gesso, as luminárias, tudo passou a apoiar-se numa estrutura metálica sem ligação com a estrutura do teto. Nos testes realizados na época, apurou-se que a margem de segurança era até maior do que a prevista. Os testes foram realizados novamente agora, com técnicas praticamente dez anos mais novas, e os resultados se mantiveram - diz a instituição no comunicado.
Investigação
O Ministério Público de São Paulo afirmou que vai abrir ações nas esferas cível e criminal para apurar as causas do desabamento do templo. A princípio, o Ministério Público isenta a instituição de culpa e deve investigar os órgãos que deram alvará de funcionamento para o imóvel. O templo anteriormente era um cinema e foi reformado para receber os cultos. O Ministério Público acredita que o imóvel não tenha passado pelas adaptações adequadas.
- O público de um cinema é totalmente diferente de um público de uma igreja até no seu número. É isso que nós temos que averiguar, se essas adaptações foram feitas, se realmente o que era exigido para a segurança foi cumprido - afirma a promotora Mabel Tucunduva.
De acordo com o Ministério Público, a Prefeitura já encaminhou a documentação referente ao imóvel, que estava toda regular.
- Tivemos um acidente na cidade de Osasco, em 1998, onde o teto de uma igreja Universal do Reino de Deus também ruiu. Na ocasião, estava sendo realizado um culto e morreram mais de 20 pessoas. O MP preocupado abriu procedimento sobre todas as igrejas da capital. Nós fizemos um acordo com a Igreja Universal, com a Igreja Católica e com outros templos para que apresentassem ao Ministério Público um atestado de segurança de cada identificação. Isso foi feito na época. Fizemos também um acordo com a Igreja Renascer, especialmente em relação a esse templo. Esse tempo foi um templo adaptado. Era um cinema e foi adaptado. No local, havia um teto muito lindo e pintado, mas não se sabia o que havia em cima - diz a promotora.
De acordo com Mabel, pode ter havido falha de quem emitiu a documentação, aprovando o uso do espaço como templo. Serão investigados o Corpo de Bombeiros, a prefeitura da capital, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) e os engenheiros e arquitetos responsáveis pela reforma do local. O IPT divulgou nota afirmando que há nove anos não tem acesso ao imóvel que desabou.
O secretário de Habitação de São Paulo, Orlando de Almeida, já confirmou que os agentes da secretaria não vistoriaram o prédio durante a renovação do pedido de alvará no ano passado. O processo teria sido feito apenas com o uso de documentos.
O promotor Ricardo Andreucci explicou que, até o momento, o processo deve correr por homicídios e lesões corporais culposas (sem intenção). Mas, segundo ele, dependendo as investigações, as acusações poderão mudar para homicídios e lesões corporais dolosas (com intenção). O promotor, porém, ressalta que ainda é cedo para responsabilizar alguém pela tragédia. O Crea também afirmou que vai investigar as responsabilidades pelo acidente.
No fim da tarde desta segunda-feira, peritos e bombeiros tiveram de interromper o trabalho nos escombros. Uma parede de 12 metros pode desabar a qualquer momento e não há segurança para trabalhar no local. A igreja terá de contratar uma empresa de demolições. O trabalho da empresa será acompanhado por peritos e bombeiros. Tragédia
O acidente aconteceu durante intervalo entre cultos, cinco minutos após a fala transmitida dos EUA por satélite da bispa Sonia Hernandes, fundadora do templo. Os bombeiros encerraram nesta manhã as buscas por vítimas depois que duas pessoas que estavam desaparecidas foram encontradas.
Oito imóveis ao lado da igreja foram interditados. As paredes laterais da Renascer ainda correm risco de desabamento, segundo a Defesa Civil.
A bispa Sonia Hernandes e o apóstolo Estevam Hernandes divulgaram nota lamentando o acidente , que consideraram uma fatalidade. Eles se disseram em luto pelas vítimas fatais e acreditam que há um propósito para o acidente.
As causas do desabamento serão apuradas em inquérito aberto na 1ª Delegacia Seccional .


link do postPor anjoseguerreiros, às 07:55  comentar

De Anónimo a 20 de Janeiro de 2009 às 20:51
Deus está pedindo que a Renascer acabe...

De Maria Célia a 20 de Janeiro de 2009 às 20:58
Acho um pouco difícil porque seus fundadores...ouvi falar...estão voltando para o Brasil.
Já vão sair da prisão?
Que seja feita a vontade de Deus!
Obrigada por sua visita
Maria Célia e Carmen

pesquisar
 
colaboradores: carmen e maria celia

Janeiro 2009
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9





arquivos
visitas
blogs SAPO